História da CBTM

 

ÍNDICE

- Missão da CBTM

- História do Tênis de Mesa no Brasil

- Grandes Nomes do Passado

- CBTM - Presidentes

- Linha do Tempo do Tênis de Mesa no Brasil

- História da Modalidade (link)

 

Missão da CBTM

Aumentar a prática do tênis de mesa no Brasil em todas as suas manifestações (performance, educação e participação), melhorar a qualidade de todas as atividades envolvidas no tênis de mesa e desempenhar seu papel social, através de uma administração com metodologia de ponta, comunicação otimizada, auto-suficiência financeira, buscando permanentemente a terceirização dos processos e a perpetuação da CBTM.

 

História do Tênis de Mesa no Brasil

No Brasil, os iniciantes da prática do esporte eram turistas ingleses que, mais ou menos em 1905, começaram a implantá-lo no país. 

Pode-se fixar o ano de 1912 como início das atividades organizadas do tênis de tesa no Brasil, pois até então ele era praticado somente em casas particulares e em clubes. Naquele ano foi disputado o primeiro campeonato por equipes na cidade de São Paulo, sagrando-se vencedor o Vitória Ideal Clube. 

Até 1942, o esporte seguiu com altos e baixos no país, quando atletas cariocas, representados por De Vicenzi, A. Neves e G. Ferreira, e paulistas, representados por Bolonga, F. Nunes e W. Silva, aprovaram a tradução das regras e assinaram convênios que levaram à oficialização do tênis de mesa pela CBD (Confederação Brasileira de Desporto). 

Em 1947, graças ao esforço de De Vicenzi, o Brasil participou do 3º Campeonato Sul-Americano e, a partir de então, a participação do Tênis de Mesa Brasileiro nos Mundiais vem intensificando o intercâmbio internacional, tão indispensável para o nosso progresso.

 

Grandes Nomes do Passado

 

IVAN SEVERO

Líder da equipe que conquistou o 5º lugar no Mundial de 1959, sem perder uma partida.

 

UBIRACI RODRIGUES DA COSTA (BIRIBA)

O mais novo atleta masculino a fazer parte de uma Seleção Brasileira, disputando o Campeonato Mundial em Dortmund – Alemanha, com apenas 14 anos. No Mundial de Pequim na China, em 1961, ele desclassificou na terceira rodada o campeão mundial Rong Guotuan.

 

DAGOBERTO MIDOSI

Ao lado de Ivan Severo, alcançou o melhor resultado da história do país em Mundiais adultos: quartas de final de duplas masculinas, em 1954. Cinco anos depois, foi campeão mundial de veteranos. Liderou a participação brasileira em diversos Mundiais.

 

HUGO HOYAMA

É o recordista brasileiro de medalhas em Pan-Americanos no tênis de mesa: 15, sendo dez de ouro, uma de prata e quatro de bronze. Em 1996, alcançou o melhor resultado do país em Jogos Olímpicos, caindo nas oitavas de final em Atlanta, nos Estados Unidos. É o atual técnico da seleção feminina.

 

CLÁUDIO KANO

Durante longo tempo, foi o mesa-tenista brasileiro com os melhores resultados individuais em eventos mundiais adultos. Foi sexto colocado na Copa do Mundo, em Macau, em 1987, e em Nairóbi, no Quênia, em 1989. Também em 1987, chegou às oitavas de final do Campeonato Mundial.

 

CBTM - Presidentes

1980-1982 - José Pereira Antelo

1983-1985 - José Pereira Antelo

1986-1988 - Alaor Gaspar Pinto Azevedo

1989-1991 - Alaor Gaspar Pinto Azevedo

1992-1995 - Ivam Passos Vinhas

1996-2000 - Alaor Gaspar Pinto Azevedo

2001-2004 - Alaor Gaspar Pinto Azevedo

2005-2008 - Alaor Gaspar Pinto Azevedo

2009-2012 - Alaor Gaspar Pinto Azevedo

2013-2016 - Alaor Gaspar Pinto Azevedo

2017-2020 - Alaor Gaspar Pinto Azevedo

 

Linha do Tempo do Tênis de Mesa no Brasil

1905

O tênis de mesa chega a São Paulo por meio de turistas ingleses. O nome era o mesmo utilizado em Londres (ping-pong), assim como a diversidade de regras aplicadas.

 

1912

A modalidade começa a ser praticada de forma mais organizada, com a disputa do primeiro campeonato por equipes, vencido pelo Vitória Ideal Clube.

 

1924

Primeiros registros do tênis de mesa no Rio de Janeiro, onde a prática já ocorria no Vasco da Gama.

 

1926

Surge a Liga Paulistana, cujo campeonato oficial de estreia foi conquistado pelo Castelões Futebol Clube.

 

1929

O alemão Máximo Cristal traz ao Brasil a primeira raquete com pino. No mesmo ano, o atual campeão Afins Sociedade Recreativa retira-se da Liga para fundar a Associação Paulista de Ping Pong.

 

1932

Em junho, a Liga Carioca de Ping Pong e o Esporte Clube Antártica resolveram disputar em São Paulo uma série de jogos. Durante a viagem, estoura a revolução constitucionalista. A delegação carioca é recebida em São Paulo pela guarda de honra militar. Durante três meses, os atletas são obrigados a viver na capital paulista, amparados por colegas da modalidade com alojamento ou mantimentos. Realizam, inclusive, exibições pagas para levantar recursos.

 

1937

O paulista Rafael Bologria lê na revista "Life" uma reportagem do norte-americano Lou Pagliaro e constata a diferença entre o tênis de mesa nacional e o praticado no exterior. Pensa, então, num intercâmbio técnico. Após grande esforço, consegue a colaboração de uma colônia húngara para, com o patrocínio de Leon Orban, promover a vinda, no ano seguinte, dos campeões mundiais M. Szabados e I. Kelen.

 

1938

Apesar das diferenças das regras e das dimensões da mesa, Szabados é derrotado diante de cerca de duas mil pessoas, na primeira vitória internacional do Brasil.

 

1940

Intensifica-se o movimento de desenvolvimento do tênis de mesa no Brasil, com adoção das regras internacionais. Em novembro, é inaugurada a primeira mesa do país, no Clube Atlético Fazenda Estadual. No ano seguinte, a antiga Associação de Ping Pong transforma-se em Federação Paulista de Tênis de Mesa. Meses depois, é fundada no Rio a Federação Metropolitana de Tênis de Mesa, apoiada pelos grandes clubes da cidade.

 

1942

Cariocas e paulistas aprovam a tradução das regras e assinam convênios que levam à oficialização do tênis de mesa pela Confederação Brasileira de Desportos (CBD).

 

1946

É disputada a primeira edição do Campeonato Brasileiro de Tênis de Mesa. O Rio de Janeiro conquista os títulos por equipes masculinas e femininas, individual masculino e duplas masculinas.

 

1947

Brasil participa do terceiro Campeonato Sul-Americano, intensificando o intercâmbio internacional da modalidade. Mário Jofre idealiza a participação do país em Mundiais, executada por Dagoberto Midosi.

 

1961

Dois anos após se tornar o mais jovem atleta masculino a fazer parte de uma seleção brasileira, aos 14 anos, Ubiraci Rodrigues da Costa, o Biriba, vence o então campeão Rong Guotuan no Mundial de Pequim, na China.

 

1980

É fundada a Confederação Brasileira de Tênis de Mesa.

 

1983

Brasil conquista suas primeiras medalhas no torneio de tênis de mesa dos Jogos Pan- Americanos, em Caracas, na Venezuela.

 

1984

O Brasil organiza seu primeiro Mundialito - atual Aberto do Brasil - no ginásio do Maracanãzinho, no Rio de Janeiro. A competição é promovida pela CBTM, e é um dos torneios abertos da América Latina reconhecidos pela Federação Internacional de Tênis de Mesa (ITTF).

 

1988

Claudio Kano e Carlos Kawai representam o Brasil na estreia do tênis de mesa nos Jogos Olímpicos, em Seul, na Coreia do Sul.

 

1990

Seleção brasileira disputa pela primeira vez os Jogos Sul-Americanos, conquistando cinco ouros (Equipe masculina – Cláudio Kano, Hugo Hoyama, Silnei Yuta e Washington Spolidori; Individual masculino – Cláudio Kano; Dupla masculina – Cláudio Kano e Hugo Hoyama; Dupla feminina – Carla Tibério e Mônica Doti; Dupla mista – Cláudio Kano e Mônica Doti), duas pratas (Equipe feminina – Edna Fuji, Carla Tibério, Mônica Doti e Marta Massuda; Individual masculino - Hugo Hoyama) e um bronze (Individual masculino – Silney Yuta).

 

1996

Hugo Hoyama dá ao Brasil o melhor resultado de sua história em Jogos Olímpicos, ao alcançar as oitavas de final em Atlanta, nos Estados Unidos, quando eliminou o campeão mundial Jorgen Persson (Suécia). Cláudio Kano é vitimado por um cruel acidente de motocicleta, seu hobby predileto. Kano faleceu no dia de seu embarque para os Jogos de Atlanta.

 

2008

Welder Knaf e Luiz Algacir conquistam a medalha de prata no torneio por equipes da Classe 3 dos Jogos Paralímpicos de Pequim, na China.

 

2011

Hugo Hoyama obtém seu décimo ouro em edições do Pan, em Guadalajara. Outro Hugo, o Calderano é bronze no Mundial Cadete.

 

2012

Calderano ganha Abertos na Polônia e no México e alcança a liderança do Ranking Mundial sub-18;

 

2013

Cazuo Matsumoto foi o primeiro sul-americano a conquistar uma etapa do Circuito Mundial, promovido pela Federação Internacional de Tênis de Mesa (ITTF) na Europa, o Aberto da Espanha.

 

2014

Hugo Calderano é bronze individual nos Jogos Olímpicos da Juventude, em Nanquim, na China. No mesmo ano, a seleção feminina é campeã mundial da segunda divisão. No Mundial Paralímpico, na Chinam o país conquista três medalhas de bronze, as primeiras da história, com Bruna Alexandre (classe 10), Aloísio Lima e Bruno Braga (equipes - classe 1) e Bruna Alexandre, Jennyfer Parinos e Jane Rodrigues (equipes - classe 9 e 10).

 

2015

Bruna Takahashi conquista o Desafio Mundial de Cadetes e traz para o Brasil o primeiro título mundial no tênis de mesa.

 

2016

Hugo Calderano iguala a marca de melhor campanha em Jogos Olímpicos ao alcançar as oitavas de final da Rio 2016. O atleta ainda faz história ao conquistar a prata no torneio individual do Aberto da Áustria – etapa Major e o ouro no Aberto da Suécia- etapa Major, ao lado de Gustavo Tsuboi, nas duplas.

Nos Jogos Paralímpicos, o Brasil fatura quatro medalhas: prata no individual da Classe 7 (Israel Stroh); e bronze no individual da Classe 10 (Bruna Alexandre), por equipes na Classe 6-10 feminina (Bruna Alexandre, Danielle Rauen e Jennyfer Parinos) e por equipes na Classe 1-2 masculina (Aloisio Lima, Guilherme Costa e Iranildo Espíndola).

 

2017

Hugo Calderano alcança o Top-20 do ranking mundial individual e é campeão do Aberto do Brasil.

 

2018

Calderano é o primeiro brasileiro a ser finalista de uma etapa platinum do Circuito Mundial, no Aberto do Catar. O mesa-tenista carioca alcança o Top-10 do ranking mundial individual.

 

Caso queira conhecer mais sobre a História da modalidade, desde o Século 19, clique aqui.