Aberto da Áustria: Em campanha histórica, Calderano não consegue bater japonês na final e fica com a prata

13/11/2016 14:12

Esta foi a primeira vez que um atleta brasileiro chegou à decisão de uma etapa major do Circuito Mundial. Esta semana, o jovem vai disputar o Aberto da Suécia

Da redação, no Rio de Janeiro (RJ) - 13/11/2016

Foto: ITTF

Hugo Calderano lutou muito, mas não conseguiu levar o título do Aberto da Áustria. Apesar de ter feito um bom jogo, acabou derrotado pelo japonês Kenta Matsudaira (41º no ranking mundial) por 4 sets a 2 (6/11; 11/5; 5/11; 11/7; 11/9 e 12/10).

De qualquer forma, a campanha é para ser celebrada. Esta foi a primeira vez que um brasileiro chegou à final de uma etapa major do Circuito Mundial.

Na caminhada no Aberto da Áustria, Calderano deixou para trás os chineses Wang Chuqin e Fang Yinchi, o dinamarquês Jonathan Groth (33º), o alemão Ruwen Filus (64º) e o japonês Yoto Muramatsu (37º).

Na final, que aconteceu neste domingo (13), o brasileiro iniciou o jogo muito seguro e levou o primeiro set com boa vantagem. Porém, no segundo, cometeu alguns erros e Matsudaira teve boas bolas, fechando e igualando o placar do confronto.

O terceiro começou de maneira equilibrada, mas, aos poucos, Calderano conseguiu voltar aos trilhos e, novamente, abriu vantagem. Matsudaira, então, melhorou na partida e venceu os dois sets seguintes, tomando a dianteira na decisão.

O japonês entrou no sexto set podendo dar um ponto final ao jogo. Mesmo pressionado, Calderano conseguiu impor um bom ritmo e teve a chance de levar o confronto para o sétimo set, ao estar com 10 a 7 no placar, porém, Matsudaira conseguiu fechar em 12/10 e garantir o ouro.

Nesta semana, Calderano volta a disputar uma etapa major do Circuito Mundial. Ele estará no Aberto da Suécia, que acontecerá entre os dias 15 e 20 deste mês.

Na Rio 2016, Calderano fez história ao chegar às oitavas de final e igualar a campanha de Hugo Hoyama em Atlanta/1996, até então, a melhor campanha de um brasileiro nos Jogos Olímpicos.

A Confederação Brasileira de Tênis de Mesa conta com recursos da Lei Agnelo/Piva (Comitê Olímpico do Brasil e Comitê Paralímpico Brasileiro) – Lei de Incentivo Fiscal e Governo Federal – Ministério do Esporte.

Siga a CBTM nas redes sociais: 

FACEBOOK: www.facebook.com/cbtenisdemesa
TWITTER: www.twitter.com/cbtm_tm
INSTAGRAM: @cbtenisdemesa

iDigo | Assessoria de comunicação CBTM
imprensa@cbtm.org.br