Aberto da Romênia: Brasil faz história com quatro medalhas e final inédita no Circuito Paralímpico

24/06/2016 13:16

Guilherme Costa e Iranildo Espíndola decidiram a Classe 2 após vencerem campeões paralímpicos

Da redação, no Rio de Janeiro (RJ) – 24/6/2016

Em mais uma etapa da preparação rumo aos Jogos Paralímpicos do Rio, em setembro, a seleção brasileira fez história nesta sexta-feira (24), no Aberto da Romênia, etapa fator 20 do Circuito Mundial Paralímpico. Além de quatro medalhas conquistadas – um ouro, duas pratas e um bronze -, pela primeira vez dois atletas brasileiros decidiram um torneio do Circuito.

Na Classe 2 masculina, Guilherme Costa (19º colocado no ranking mundial da Classe 2) superou Iranildo Espíndola (15º) por 3 a 0 (11/8, 11/2 e 11/8) e ficou com o título. Nas semifinais, os brasileiros, que compõem a equipe que representará a seleção nos Jogos Paralímpicos da sua Classe, superaram ninguém menos do que os bicampeões por equipes dos Jogos Paralímpicos, da Eslováquia.

Iranildo derrotou Martin Ludrovsky (11º) por 3 a 2, em duelo de tirar o fôlego: parciais de 11/6, 9/11, 11/7, 8/11 e 11/8. O campeão Guilherme, por sua vez, bateu Ratislav Revucky (10º), por 3 a 0 – 11/9, 11/7 e 11/5.

“Isso mostra a grande equipe que temos para os Jogos do Rio. Esse jogo poderia ser um confronto de semifinal e nós conseguimos vencer os dois jogos individuais”, destacou o técnico da equipe cadeirante e coordenador da seleção, José Rizzone.

Em disputa de grupo único na Classe 2 feminina, Catia Oliveira (7ª) terminou com a medalha de prata, após finalizar a campanha com duas vitórias e duas derrotas – a última em duelo equilibrado com a sérvia Ana Prvulovic (14º), por 3 a 2 (11/6, 8/11, 11/8, 9/11 e 13/11).  

“A Cátia já tinha demonstrado ontem o potencial dela. Depois de oito meses parada por causa de uma cirurgia no ombro, ela retornou às competições internacionais e terminou em segundo lugar, mostrando que está recuperada, só falta mais ritmo”, apontou o treinador.

O medalhista de bronze Paulo Salmin (13º colocado no ranking mundial da Classe 7) foi superado na semifinal pelo ucraniano Mykahaylo Popov (3º), por 3 a 0 – parciais de 12/10, 11/3, 8/11 e 11/8. Nas quartas, ele havia superado o polonês Michal Deigsler (23º) por 3 a 0 (11/8, 11/8 e 11/7).

“O Paulo jogou muito bem. Ele saiu na frente e levou a virada, mas mesmo assim se comportou bem durante todo o jogo e pressionou o adversário”, elogiou Rizzone.

Outro representante da seleção brasileira em Cluj-Napoca, Israel Stroh (12º) parou nas quartas de final da Classe 7, onde foi superado pelo ucraniano Viktor Karp (25º) em embate muito disputado: 3 a 2 (3/11, 11/7, 11/9, 10/12 e 11/6). As disputas por equipes de todas as classes começam nesta sexta e seguem até sábado (25).

A Confederação Brasileira de Tênis de Mesa conta com recursos da Lei Agnelo/Piva (Comitê Olímpico do Brasil e Comitê Paralímpico Brasileiro) – Lei de Incentivo Fiscal e Governo Federal – Ministério do Esporte.

Siga a CBTM nas redes sociais: 

FACEBOOK: www.facebook.com/cbtenisdemesa
TWITTER: www.twitter.com/cbtm_tm
INSTAGRAM: @cbtenisdemesa

iDigo | Assessoria de comunicação CBTM
imprensa@cbtm.org.br