Após medalha de prata, Israel Stroh realiza sonho de conhecer técnico Tite: 'Fiquei emocionado'

20/09/2016 10:21
Mesatenista trocou presentes com o comandante da seleção brasileira de futebol e afirmou que encontro o impulsiona ainda mais a novas conquistas
 
Alexandre Araújo, no Rio de Janeiro - 20/09/2016
 
Fotos: Lucas Figueredo/CBF
 
Israel Stroh, com certeza, levará boas lembranças do Rio de Janeiro. Além da medalha de prata na Classe 7 dos Jogos Paralímpicos, a primeira de um atleta brasileiro em uma disputa individual, o mesatenista conseguiu realizar um sonho: conhecer Tite, atual técnico da seleção brasileira de futebol. Israel não esconde a admiração que tem pelo treinador e ressalta que vê Tite como um exemplo dentro do esporte. Na preparação para os Jogos, o atleta assistiu a diversas entrevistas do treinador e leu livros que ele indicou em algumas oportunidades - as obras, inclusive, estiveram na cabeceira também durante o período em que esteve na Vila Paralímpica.
 
No encontro, Israel deu uma camisa da seleção brasileira de tênis de mesa autografada a Tite e recebeu uma amarelinha com a dedicatória do treinador. Além disso, presenteou o técnico com o livro "Jogando para vencer", que conta a história de sucesso de John Wooden, treinador de basquete norte-americano.
 
"Foi muito legal! Nós temos referências dentro do esporte. Procuramos seguir alguns caminhos que acreditamos ter dado certo. O Corinthians que ele treinou, e agora a seleção, foram caminhos que procurei seguir pela questão de trabalho, disciplina, de buscar sempre fazer o melhor e trabalhar com intensidade. Fiquei emocionado quando a gente pôde conversar, trocar as camisetas... É um dia que vou guardar na memória com muito carinho"
 
Segundo Israel, estar com o Tite não foi um simples encontro entre fã e ídolo. O mesatenista garante que a conversa com o técnico foi o reconhecimento de um trabalho e vai servir como um estímulo ainda maior para continuar correndo atrás de mais conquistas. 
 
"Quando a gente ganha medalha, é importante usá-la da melhor maneira possível para servir de referência para outras pessoas e estimular a nós mesmos. Poder conversar com o Tite foi o reconhecimento de que estamos fazendo algo bem feito. Ele cedeu um tempinho dele em um dia muito corrido para falar com a gente e para celebrar junto conosco essa medalha. E coisas que nos trazem felicidade são as que nos impulsionam. Trabalhamos para ter emoções boas. Então, uma emoção boa como essa vai servir de empurrão para novas conquistas", afirmou.

Com um sorriso no rosto, Tite parabenizou Israel e salientou que o lugar no pódio foi conquistado por méritos do atleta, que se preparou para atingir grandes resultados:
 
"Parabéns, Israel! Que bom poder contribuir de alguma forma. Fico feliz, contente, mas os méritos são todos teus. É isso que eu acredito. Você tem de ir sempre sabendo que está fazendo o seu trabalho e não vai enfrentar um inimigo, mas um adversário. E tem que ser sempre melhor que ele".

Assista ao vídeo do encontro entre Israel e Tite!
 
Um pouco antes de estar frente a frente com Tite, Israel fez uma visita ao museu da seleção brasileira e acompanhou a convocação para os jogos contra Bolívia e Venezuela, válidos pelas eliminatórias da Copa do Mundo de 2018. E o mesatenista também pôde sentir o gostinho de ser um medalhista paralímpico. Logo que deixou o auditório onde o técnico divulgou a lista de jogadores que estarão nos próximos compromissos, foi reconhecido e abordado por um grupo de crianças que aguardavam para visitar o museu. Atencioso, parou e tirou diversas fotos.

Tite foi jogador de futebol entre 1978 e 1989, tendo passagens por Caxias, Esportivo, Portuguesa e Guarani. Começou a carreira como treinador em 1990, no Guarany-RS, e antes de chegar à seleção, comandou diversos clubes, como Caxias, Veranópolis, Ypiranga-RS, Juventude, Grêmio, São Caetano, Corinthians, Atlético Mineiro, Palmeiras, Al Ain (Emirados Árabes), Internacional, Al-Wahda (Emirados Árabes) e Corinthians. 
 
O primeiro título como técnico foi em 1993, quando venceu a Segunda Divisão do Gaúcho pelo Veranópolis. Anos depois, começou a chamar a atenção no cenário nacional ao venceu o Gaúcho de 2000 com o Caxias, batendo o Grêmio na final. No currículo, o comandante tem ainda dois Campeonatos Gaúchos, em 2001 (Grêmio) e 2009 (Internacional), uma Copa do Brasil (2001), pelo Grêmio, uma Copa Sul-Americano (2008), pelo Internacional, dois Campeonatos Brasileiros (2011 e 2015), ambos pelo Corinthians, uma Libertadores (2012) e um Mundial (2012), uma Recopa Sul-Americana (2013) e um Campeonato Paulista (2013), todos pelo Timão.
 

A Confederação Brasileira de Tênis de Mesa conta com recursos da Lei Agnelo/Piva (Comitê Olímpico do Brasil e Comitê Paralímpico Brasileiro) – Lei de Incentivo Fiscal e Governo Federal – Ministério do Esporte.

Siga a CBTM nas redes sociais:

FACEBOOK: www.facebook.com/cbtenisdemesa
TWITTER: www.twitter.com/cbtm_tm
INSTAGRAM: @cbtenisdemesa

iDigo | Assessoria de comunicação CBTM
imprensa@cbtm.org.br