Após período na Alemanha, Gustavo Yokota celebra: 'Foi bom em todos os aspectos'

12/04/2017 10:33

Jovem ficou dois meses na Europa, garante que voltou mais maduro e avisa que quer fazer bonito nesta temporada

Da redação, no Rio de Janeiro (RJ) - 12/04/2017

Foto: ITTF

O dito popular garante que a primeira vez ninguém esquece. Para Gustavo Yokota, ao menos, essa máxima está valendo. O jovem brasileiro acabou de passar por um período de dois meses de intercâmbio na Alemanha, onde atuou pelo Top Spin Sport Tischtennis Center, clube da cidade Bad Aibling, e garante que as experiências vivenciadas neste tempo no Velho Continente foram de suma importância para o andamento da carreira no tênis de mesa. 
 
Yokota ressaltou que pôde ter contato com atletas com boas posições no ranking da Federação Internacional de Tênis de Mesa (ITTF) e conseguiu conquistar resultados bem positivos.
 
"O intercâmbio foi bom em todos os aspectos. Foi minha primeira experiência de treinamentos na Europa, então, no começo, tudo foi novidade para mim. Tive a oportunidade de jogar com atletas de altíssimo nível no Challenger Series (um dos torneios disputados na Alemanha). Venci o vice-campeão europeu juvenil de 2016 e joguei de igual pra igual com outros jogadores, que atuam na primeira divisão na Alemanha e Polônia. Treinei com o técnico Thomas Wetzel, que me recebeu de braços abertos", disse ele, lembrando que ajudou o Top Spin Sport Tischtennis Center na luta para sair da parte inferior da tabela:
 
"Para completar, joguei a Liga e ajudei meu time a sair da zona de rebaixamento, motivo pelo qual fui contratado. Portanto, voltei para o Brasil com um saldo positivo, e com a certeza que dei meu melhor".
 
Com um estilo mais defensivo (conhecido como cateiro), o atleta salienta que a passagem pela Alemanha o ajudou a melhorar o jogo ao qual está acostumado.
 
"Os treinamentos na Europa foram essenciais para aprimorar meu ritmo de jogo. Joguei com atletas de bola muito forte e porcentagem de erro pequena. No começo, não conseguia defender os golpes, pois não estava acostumado com esse ritmo, mas, nas últimas semanas, isso foi mudando e os resultados também". 
 
Gustavo garante que retornou ao Brasil diferente e com mais ânimo para evoluir. E quer mostrar isso nas competições que serão realizadas no país no decorrer desta temporada, quando defenderá a Associação Chapecoense.
 
"Voltei mais maduro, experiente e decidido. Em apenas 2 meses de intercâmbio não é possível atender todas as expectativas internas e externas, mas certamente foi o suficiente para enxergar o que tenho que melhorar ainda mais para encarar os melhores do mundo. Estarei no Aberto do Brasil adulto e nas Copas Brasil também. Tenho um compromisso com a equipe de Chapecó, então, também disputarei o JASC (Jogos Abertos de Santa Catarina) e os estaduais. Pretendo continuar treinando forte. Um dos meus objetivos para esse ano é conseguir me sobressair no cenário nacional adulto", avisou. 
 
Um fator fez com que Yokota se sentisse um pouco mais à vontade na Alemanha foi justamente o contato com outros brasileiros. Lá, ele pôde se encontrar com Hugo Calderano, Victor Ishyi e Eric Jouti, que treinam e jogam no país.
 
"Encontrei todos eles, pois fui para a cidade de Ochenhausen competir, que é justamente onde eles moram e treinam. Vitor, Eric e o Calderano ainda me pagaram um jantar (risos). Além disso, Vitor também foi meu oponente durante o Challenger Series. Foi muito legal encontrá-los", recorda.
 
A Confederação Brasileira de Tênis de Mesa conta com recursos da Lei Agnelo/Piva (Comitê Olímpico do Brasil e Comitê Paralímpico Brasileiro) – Lei de Incentivo Fiscal e Governo Federal – Ministério do Esporte.
 

Siga a CBTM nas redes sociais:

FACEBOOK: www.facebook.com/cbtenisdemesa
TWITTER: www.twitter.com/cbtm_tm
INSTAGRAM: @cbtenisdemesa

iDigo | Assessoria de comunicação CBTM
imprensa@cbtm.org.br