Circuito das Estrelas: estrangeiros elogiam nível do tênis de mesa brasileiro: 'Melhor da América'

08/11/2016 16:04
Rodrigo Gilabert (ARG), Gustavo Gomez (CHI), Gastón Alto (ARG) e Damian Moleda (URU) ressaltam qualidade dos nossos atletas
 
Alexandre Araújo e José Augusto Assis, no Rio de Janeiro (RJ) - 08/11/2016
 
Fotos: Christian Martinez e ITTF (Gustavo Gomez)
 
O tênis de mesa brasileiro vem mostrando cada vez mais força e um dos exemplos disso foi o Circuito das Estrelas - Etapa Biriba, competição que teve a participação de atletas sul-americanos e terminou com o pódio totalmente verde e amarelo. No torneio, que aconteceu em Chapecó, Hugo Calderano, Cazuo Matsumoto, Vitor Ishiy e Eric Jouti encararam Rodrigo Gilabert (ARG), Gustavo Gomez (CHI), Gastón Alto (ARG) e Damian Moleda (URU), respectivamente, e saíram vitoriosos, fazendo a semifinal do campeonato. Hugo e Cazuo se enfrentaram na decisão, com vitória de Calderano.
 
Os estrangeiros foram unânimes em afirmar que o Brasil, hoje, é a principal potência do tênis de mesa na América, lembrando a qualidade dos nossos representantes. A quantidade de atletas no Campeonato Brasileiro SAN-EI de Verão, que aconteceu paralelamente ao Circuito das Estrelas - Etapa Biriba, foi motivo de admiração.
 
"Estou muito feliz de ter participado dessa competição e também ter a oportunidade de ver o Campeonato Brasileiro. Eu fiquei surpreso com a quantidade de jogadores, são muitos clubes. Obviamente, o tênis de mesa brasileiro é o melhor da América. São muito jogadores, um país muito grande e que está investindo muito no tênis de mesa, assim como em outros esportes. Espero que sirva de exemplo para outros países", disse o chileno Gustavo Gomez.
 
Gastón Alto, por sua vez, salientou os diversos brasileiros que estão se destacando mundo a fora.
 
"(O tênis de mesa brasileiro) É o melhor que se tem na América. Atualmente, tem Hugo Calderano como um dos principais jogadores, e que está entre os 30 melhores do mundo. Além dele, ainda tem atletas como o Cazuo, (Thiago) Monteiro, (Gustavo) Tsuboi e jovens como o Ishiy e Jouti. Com certeza, é um nível muito alto", assegurou.
 
Mas tinha estrangeiro que estava sentindo-se em casa. O argentino Rodrigo Gilabert já morou no Brasil e sabia o que esperar ao participar do Circuito das Estrelas.
 
"Morei por quatro anos no Brasil, mais precisamente em Santos, e sempre treinamos muito. Em comparação a outros países, como a Argentina, o nível do Brasil sobe constantemente", disse ele, que completou:
 
"Eu continuo jogando por Santos. Então, sempre vejo os meus amigos daqui umas duas ou três vezes por ano. Esse contato com os brasileiros continua".
 
Para Damian Moleda, nosso país há muito tempo tem destaque na modalidade, mas Hugo Calderano elevou o patamar do tênis de mesa brasileiro.
 
"O Brasil sempre foi uma das potências da América, historicamente falando. Um nível de jogadores muito bom, sobretudo agora, com Hugo Calderano, que tem um estilo muito contundente e seguro", garantiu o uruguaio.
 
A final do Circuito das Estrelas foi entre Hugo Calderano e Cazuo Matsumoto, com Calderano levando o título após vitória por 4 sest a 0, com parciais de  11/7; 11/6; 11/9 e 11/5.
 

A Confederação Brasileira de Tênis de Mesa conta com recursos da Lei Agnelo/Piva (Comitê Olímpico do Brasil e Comitê Paralímpico Brasileiro) – Lei de Incentivo Fiscal e Governo Federal – Ministério do Esporte.

Siga a CBTM nas redes sociais: 

FACEBOOK: www.facebook.com/cbtenisdemesa
TWITTER: www.twitter.com/cbtm_tm
INSTAGRAM: @cbtenisdemesa

iDigo | Assessoria de comunicação CBTM
imprensa@cbtm.org.br