Com material da Rio 2016, Santa Catarina pretende aprimorar ainda mais a formação de atletas

16/12/2016 15:06

Centro de treinamento em São Bento do Sul receberá redes, suporte, piso e mesas usadas nos Jogos Olímpicos

Da redação, no Rio de Janeiro (RJ) - 16/12/2016

Um dos principais polos de tênis de mesa do Brasil, Santa Catarina está prestes a subir mais um degrau no que diz respeito à preparação de atletas. O Estado será um dos que vão receber parte do material utilizado nos Jogos Olímpicos, legado da Rio 2016 cedido à Confederação Brasileira de Tênis de Mesa (CBTM), que está encaminhando a diversos centros de treinamento. Vilmar Schindler, presidente da Federação Catarinense de Tênis de Mesa, ressalta que tais equipamentos vão ajudar ainda mais no crescimento dos jovens atletas. 
 
O CT de São Bento do Sul terá a oportunidade de receber redes, suportes, cadeiras e mesas de arbitragem, separadores, piso e mesas de jogo que foram usadas na Rio 2016.
 
"Vai influenciar e ajudar na formação técnica dos atletas. Sem esta tecnologia, nós no Brasil ou em qualquer lugar do mundo, não vamos evoluir. O treinamento chega até um certo patamar e, depois disso, precisa deste tipo de material de alto nível", disse.
 
Vilmar ponderou que ainda há muito a ser feito em diversos pontos devido ao grande número de atletas de tênis de mesa, mas ressaltou que o legado material da Rio 2016 já contribuirá para deixar mais um CT em um bom nível.
 
"Em Santa Catarina, estamos engatinhando para o alto nível quando o assunto é material de alta tecnologia. Hoje, no Estado, creio que temos piso próprio em apenas quatro centros de treinamento. Esse material vai suprir e ajudar mais um centro. Temos cerca de 10 mesas de nível internacional, como as da SAN-EI. Portanto, vai ser algo muito bom. Temos resultados positivos em todas as categorias de base, juntamente aos Estados de melhor nível do Brasil. Somos um país muito grande e, em alguns Estados, o tênis de mesa está na capital, enquanto em outros, como Santa Catarina, Paraná e São Paulo, estão nos municípios, e esses são muitos. Claro que ainda é insuficiente para número de atletas que temos, são cerca de 25 CT's, mas estamos caminhando", afirmou.
 
O futuro vice-presidente da CBTM colocou em foco ainda que os resultados do tênis de mesa brasileiro na Rio 2016 mostraram que o planejamento feito pela confederação está no caminho certo.
 
"A imagem da modalidade para o público em geral mudou. Hugo Calderano se tornou um ídolo e o pessoal torceu no tênis de mesa como torce no futebol. Os resultados afirmaram o plano estratégico que vem sendo desenhado pela CBTM".

Além do próprio Rio e de Santa Catarina, também vão receber materiais da Rio 2016 os Estados do Rio Grande do Sul, Mato Grosso, Piauí e Minas Gerais.
 

A Confederação Brasileira de Tênis de Mesa conta com recursos da Lei Agnelo/Piva (Comitê Olímpico do Brasil e Comitê Paralímpico Brasileiro) – Lei de Incentivo Fiscal e Governo Federal – Ministério do Esporte.

Siga a CBTM nas redes sociais:

FACEBOOK: www.facebook.com/cbtenisdemesa
TWITTER: www.twitter.com/cbtm_tm
INSTAGRAM: @cbtenisdemesa

iDigo | Assessoria de comunicação CBTM
imprensa@cbtm.org.br