Com visita de Trinko Keen, Comitê Holandês inicia projeto de apoio a escolas cariocas

23/08/2016 10:07
Ação faz parte de uma iniciativa maior da Confederação Brasileira de Tênis de Mesa, que quer ampliar atuação
 
Da redação, no Rio de Janeiro (RJ) - 23/08/2016
 
Como um legado da Rio 2016, o Comitê Olímpico Holandês começou um projeto de auxílio às escolas GEO (Ginásio Experimental Olímpico), que conta com unidades nos bairros de Santa Teresa, Caju e Pedra de Guaratiba e atende diversas crianças carentes, tendo o esporte como um dos pilares principais para construir o crescimento dos alunos. A iniciativa faz parte de um programa da Confederação Brasileira de Tênis de Mesa (CBTM), que já acontece há três anos e tem o objetivo de auxiliar escolas públicas cariocas, doando materiais esportivos, organizando workshops e treinamentos aos professores.
 
Segundo Alaor Azevedo, presidente da Confederação Brasileira de Tênis de Mesa, neste período, aproximadamente 50 colégios foram beneficiados e a ideia é ampliar ainda mais o programa muito em breve, fazendo com que apareçam mais talentos na modalidade.
 
"Damos mesas, bolas, raquetes e treinamos os professores. Nos últimos três anos, cerca de 50 escolas e 4 mil alunos se beneficiaram. A partir de setembro, vamos começar em 10 escolas para crianças de seis a dez anos. Aos poucos, vamos detectar os talentos e proporcionar um maior nível de equipamento e treinamento", afirmou Alaor, em entrevista ao site da Federação Internacional de Tênis de Mesa (ITTF).
 
E as crianças tiveram um incentivo ainda maior durante os Jogos Olímpicos. O atleta holandês Trinko Keen, após encerrar a participação na Rio 2016, aproveitou a passagem pela Cidade Maravilhosa para fazer uma nova visita aos pequenos e levar o material que conseguiu para doação junto a empresas do ramo do tênis de mesa, como ESN, Andro, Tibhar e Donic, contando com o apoio da ITTF e CBTM.
 
"Depois que vim em novembro do ano passado, fiquei, realmente, tocado pelas crianças e pelo grande trabalho dos treinadores e professores, que se entregam para ajudar essas crianças e ajudá-las a ter um futuro melhor. Quando os professores viram o que as empresas haviam mandado, ficaram muito emocionados. Eu fiquei muito feliz por mostrar que o mundo do tênis de mesa se preocupa com essas crianças", disse o atleta.
 
Trinko Keen aproveitou para ressaltar a importância que o esporte pode ter na vida desses meninos e meninas para a construção de um futuro melhor.
 
"Realmente, acredito que o esporte pode mudar a fé destas crianças. Nos esportes, elas aprendem que quando você investe em sua formação, pode chegar a algum lugar. Elas aprendem sobre ganhos, perdas, disciplina e espírito de equipe. Essas são coisas que eles também precisam para encontrar um bom lugar na sociedade. O caminho não será fácil, mas o esporte pode fornecer ferramentas para dar a eles a crença de que podem ser o mestre dos seus destinos e fazer isso acontecer", avisou.
 
A convite da Federação Internacional de Tênis de Mesa (ITTF), o holandês assistiu às finais por equipes ao lado de alguns alunos, no Riocentro.
 
"Você tinha que estar lá para ver o que o impacto de estar em uma Arena Olímpica teve sobre essas crianças. Foi muito bom sentir isso. Muito obrigado a todos os que, de alguma forma, contribuíram", concluiu Keen.
 

A Confederação Brasileira de Tênis de Mesa conta com recursos da Lei Agnelo/Piva (Comitê Olímpico do Brasil e Comitê Paralímpico Brasileiro) – Lei de Incentivo Fiscal e Governo Federal – Ministério do Esporte.

Siga a CBTM nas redes sociais:

FACEBOOK: www.facebook.com/cbtenisdemesa
TWITTER: www.twitter.com/cbtm_tm
INSTAGRAM: @cbtenisdemesa

iDigo | Assessoria de comunicação CBTM
imprensa@cbtm.org.br