Coordenador do Diamantes do Futuro espera grandes resultados na Detecção Nacional de Talentos 2016

15/07/2016 10:16

 

 

Jorge Fanck ressalta que programa tem como um dos objetivos disseminar o tênis de mesa em todo o Brasil
 
Da redação, no Rio de Janeiro - 15/07/2016
 
Na próxima segunda-feira (18), começa a Detecção Nacional de Talentos 2016, período de uma semana que inclui treinamentos físicos e técnicos para jovens praticantes do tênis de mesa de todo o Brasil. E os participantes ainda podem ser selecionados para o Programa Diamante do Futuro, uma iniciativa da Confederação Brasileira de Tênis de Mesa (CBTM) para buscar e lapidar novos destaques no esporte. A expectativa de Jorge Fanck, coordenador do Diamantes, para este tempo de atividades é a melhor possível. Ele salientou a qualidade dos atletas nas etapas regionais e evolução do projeto nos últimos anos. 
 
O evento, que acontecerá de 18 a 24 de julho, de 9h às 18h, em Piracicaba, interior de São Paulo (SP), teve 48 atletas convocados. 
 
"As detecções regionais foram bem legais. Os atletas demonstraram um nível interessante, alguns já um pouco mais avançados e outros mais iniciantes, mas, no geral, o nível apresentado foi bem legal. Pegamos o processo andando, nos últimos três, quatro anos, ele já vinha bem solidificado. A cada ano, o projeto está tendo mais adesão, o pessoal está acreditando mais, vendo que é algo sério. Estão vendo que tem um retorno interessante da Confederação Brasileira de Tênis de Mesa (CBTM) para a carreira dos atletas", disse.
 
Fanck acredita que a Detecção Nacional é o começo de um processo ainda mais amplo, de enraizamento do tênis de mesa ao redor de todo o país, fazendo com que haja um conhecimento maior sobre o esporte e os treinamentos que acontecem na seleção brasileira de base. Ele ressaltou que o período de treinos se torna positivo não só para o atleta, mas também para os técnicos, que voltam aos estados de origem e podem realizar os trabalhos diários com os jovens de uma outra maneira.

 
"O técnico que está formando a criança em um estado que, talvez, não tenha tanta informação, tanto desenvolvimento na modalidade, fica uma semana e acaba sendo um estágio técnico pra o treinador também. O atleta aproveita muitos treinamentos e o técnico consegue pegar um pouco da metodologia, de exercícios básicos e mais elaborados. O principal de tudo é que a gente consiga fazer com que os atletas e os técnicos aproveitem o máximo estes sete dias" avisa Jorge Fanck, que completa:
 
"Independentemente de ter muitos atletas convocados para o Diamantes ou não, o importante é fazer o melhor trabalho para propagar essas informações, a metodologia usada na seleção de base e fazer com que todos os atletas e técnicos tenham acesso, que isso volte para os estado e seja ramificado. Quanto mais essa informação for propagada, chegar aos estados, aos clubes, aos núcleos, mais o tênis de mesa do Brasil ganha".
 
O evento será comandado pelo técnico Jorge Fanck - coordenador do Diamantes do Futuro -, pelo assistente técnico Andrews Martins e também pelo coordenador técnico da seleção brasileira, Lincon Yasuda. Também estará presente o português Ricardo Faria, consultor internacional da Confederação Brasileira de Tênis de Mesa.
 
A Confederação Brasileira de Tênis de Mesa conta com recursos da Lei Agnelo/Piva (Comitê Olímpico do Brasil e Comitê Paralímpico Brasileiro) – Lei de Incentivo Fiscal e Governo Federal – Ministério do Esporte.

 

 

Siga a CBTM nas redes sociais:

FACEBOOK: www.facebook.com/cbtenisdemesa
TWITTER: www.twitter.com/cbtm_tm
INSTAGRAM: @cbtenisdemesa

iDigo | Assessoria de comunicação CBTM
imprensa@cbtm.org.br