Coordenador do 'Diamantes' enaltece intercâmbio do projeto na China: 'Vai ser uma experiência excelente'

23/11/2016 11:45
Jorge Fanck ressaltou que o período no centro de formação de atletas do Shandong Luneng, em dezembro, terá diversos pontos positivos
 
Da redação, no Rio de Janeiro (RJ) - 23/11/2016 
 
Os jovens atletas integrantes do Diamantes do Futuro estão prestes a viver uma grande experiência. Com a intenção de preparar ainda melhor os jovens das categorias de base, a Confederação Brasileira de Tênis de Mesa (CBTM) viabilizou mais um intercâmbio para a China, que é referência na modalidade. Os brasileiros serão recebidos no centro de formação do Shandong Luneng, que ficou conhecido no Brasil pelas recentes contratações no futebol, mas que é um dos principais clubes de tênis de mesa do país.
 
Ao todo, serão 13 atletas entre 9 e 15 anos, que ficarão do outro lado do mundo por cerca de 20 dias. E a ação não será aproveitada apenas pelos jovens. Pelo contrário! Jorge Fanck, coordenador do Diamantes do Futuro, ressaltou que o período na China será uma oportunidade de analisar como é feito o trabalho de formação de jogadores, o que pode ser o grande diferencial em relação às viagens anteriores.
 
"Vai ser uma experiência excelente. Quando estivemos lá, ficamos no clube principal. Levar esses atletas para o centro de formação do principal clube da China, o que torna também em um dos principais clubes do mundo, será muito valioso. Poder observar o trabalho que eles desenvolvem na categoria de base será muito interessante, porque é justamente o que o Diamantes faz aqui no Brasil, trabalha na formação de novos atletas. Vamos poder ver como funciona a rotina, como é a didática, como desenvolvem a base, algumas técnicas específicas...", disse.
 
Para Fanck, talvez, o maior ganho que os pequenos brasileiros podem ter é em uma questão que não envolve diretamente as técnicas passadas ou o modo de treino, mas como é visto o caminho para se tornar um atleta de ponta no alto rendimento:
 
"Para a criançada, será bom para eles verem o nível de foco e dedicação desses atletas. Claro que a cultura é totalmente diferente, não estamos entrando nesse mérito, mas o nível de foco, dedicação, atenção e entrega desses atletas é absurda. Então, se conseguirmos fazer com que nossos atletas percebam a importância disso e transfiram isso para os treinos do dia a dia, será ótimo".
 
O coordenador do Diamantes do Futuro fez questão ainda de salientar o investimento que a CBTM tem feito no Diamantes do Futuro e o quanto isso poderá influenciar de forma positiva nos resultados do Brasil a médio e longo prazo. 
 
"Esse estágio é muito importante e mostra como a CBTM está investindo no projeto. O Diamantes do Futuro está em paralelo ao tênis de mesa olímpico e paralímpico de alto rendimento, porque a CBTM sabe a importância de se trabalhar muito bem a base. Quanto melhor esses atletas forem preparados, para o alto rendimento, quando chegarem com 19,20 anos, vão estar muito mais capacitados para desenvolver o melhor que eles têm", afirma ele, que completa:
 
"Então, imagina essas crianças com 9, 10, 11, 12 anos já fizeram estágio na China, já participaram de competições latino-americanas... Eles já vão ter uma experiência enorme com 15,16 anos. Quando começarem a enfrentar os atletas profissionais em eventos internacionais, estarão mais adaptados".
 

A Confederação Brasileira de Tênis de Mesa conta com recursos da Lei Agnelo/Piva (Comitê Olímpico do Brasil e Comitê Paralímpico Brasileiro) – Lei de Incentivo Fiscal e Governo Federal – Ministério do Esporte.

Siga a CBTM nas redes sociais:

FACEBOOK: www.facebook.com/cbtenisdemesa
TWITTER: www.twitter.com/cbtm_tm
INSTAGRAM: @cbtenisdemesa

iDigo | Assessoria de comunicação CBTM
imprensa@cbtm.org.br