Copa Brasil: os passos firmes de Allana na caminhada até o lugar mais alto do pódio

07/10/2016 09:11
Ouro no Pré-Mirim Feminino, menina nasceu com um encurtamento ósseo na perna direita, mas mostrou que esse foi o menor dos problemas na competição
 
Alexandre Araújo, em Toledo - 07/10/2016
 
Foto: Christian Martinez
 
Nem sequer um encurtamento ósseo na perna direita foi capaz de impedir que Allana Maschio (Associação Balneário Camboriu de Tênis de Mesa - SC) subisse degrau por degrau até o lugar mais alto do pódio. Pelo contrário, esse, mostrou ela, foi o menor dos problemas na perfeita caminhada até a medalha de ouro na categoria Pré-Mirim na Copa Brasil de Tênis de Mesa Sul-Sudeste II - Toledo. O brilho da medalha era o mesmo dos olhos da menina de 10 anos ao desfilar com ela no peito. Para conquistá-la, Allana venceu, na última quinta-feira (6), Victoria Luisa Traesel (Associação Bombeiros de Foz de Iguaçu - PR) na final, por 3 sets a 0 (11/1; 11/3 e 11/1).
 
O título veio depois de menos de dois anos em que Allana conheceu a modalidade. A explicação de como o primeiro contato com o esporte aconteceu denuncia a pouca idade.
 
"Comecei a praticar há menos de dois anos. Eles treinavam na minha escola, eu gostei e pedi para minha mãe me colocar também. Achei muito legal ver aquele pessoal mais velho treinando. Foi isso", disse.
 
Esta não é primeira grande competição que pequena atleta participa e muito menos a primeira medalha, mas o torneio em Toledo vai ficar marcado. Meio sem graça, ela ressaltou o porque esta Copa Brasil foi diferente:
 
"A posição, não é? Nas outras, tinha ficado em terceiro, segundo... Agora, fiquei em primeiro (risos)".
 
Allana ainda é apenas uma menina, mas já alimenta o sonho de, um dia, viver do esporte. Por conta de compromissos esportivos e escolares, ela não pôde ver de perto os Jogos Olímpicos e Paralímpicos no Rio de Janeiro, mas assistiu tudo pela televisão e acompanhou um dos ídolos dela na modalidade.
 
"Quando crescer, quero ser jogadora de tênis de mesa. Gosto muito de ver a Alexia Nakashima jogar e também o Hugo Calderano, eles jogam muito", concluiu, abrindo um grande sorriso ao saber da possibilidade de Calderano participar do Campeonato Brasileiro, que acontece em Chapecó, no começo do mês que vem:
 
"Vou pedir um autógrafo!"
 

A Confederação Brasileira de Tênis de Mesa conta com recursos da Lei Agnelo/Piva (Comitê Olímpico do Brasil e Comitê Paralímpico Brasileiro) – Lei de Incentivo Fiscal e Governo Federal – Ministério do Esporte.

Siga a CBTM nas redes sociais:

FACEBOOK: www.facebook.com/cbtenisdemesa
TWITTER: www.twitter.com/cbtm_tm
INSTAGRAM: @cbtenisdemesa

iDigo | Assessoria de comunicação CBTM
imprensa@cbtm.org.br