Copa Pan-Americana: Com agenda intensa e ritmo de jogo, Carol Kumahara busca volta ao topo

25/07/2017 15:32

Brasileira salientou que, com novo formato da competição, haverá novos desafios, mas nada que impeça o título

Da redação, no Rio de Janeiro (RJ) - 25/07/2017

Foto: Christian Martinez / RGB Studios / CBTM

O mês de julho foi para lá de corrido para Caroline Kumahara. A atleta, que acabou de participar dos Jogos Regionais de São Paulo, já vai embarcar para San José, na Costa Rica, onde será uma das representantes brasileiras na Copa Pan-Americana, competição que dá vaga na Copa do Mundo da modalidade, que será realizada em outubro, em Markham, Canadá.
Além dela, completam a delegação verde e amarela no torneio intercontinental Lin Gui, Gustavo Tsuboi e Eric Jouti.
 
Apesar da rotina pesada, Carol ressalta que houve pontos positivos e negativos nos preparativos para a Copa Pan-Americana.
 
"Participei dos Jogos Regionais e já vou para a Copa Pan-Americana. Então, a minha preparação acabou sendo um pouco antecipada por conta disso. Não treinei tanto nos últimos dias, mas, por outro lado, já tem o ritmo de jogo que já peguei à mesa. Acho que a preparação, no geral, foi muito boa. Eu me senti bem, confiante e com uma energia bem positiva", disse.
 
A atleta, que esteve nos Jogos Olímpicos Rio 2016, ressaltou quais podem ser as principais dificuldades dessa edição do torneio, que contará com Estados Unidos e Canadá pela primeira vez, mas avisou que nenhum impede a chegada ao ouro.
 
"No Pan-Americano, Canadá e Estados Unidos acabam sendo as principais adversárias porque são delegações que têm chinesas naturalizadas. Isso eleva o nível do torneio e traz uma dificuldade a mais, mas não impossibilita conquistar o título", afirma.
 
No último ano, Carol chegou como uma das favoritas, mas acabou chegando ao pódio. Porém, garante que isso não mudará a forma como vai atuar em breve.
 
"Não acho que vá mais mordida pelo ano passado. Tinha grandes chances, mas acabei não atingindo o resultado esperado. É algo que acontece. Isso não muda nada para agora. Assim como histórico de conquistas não é levado em conta, o contrário também não. Vou com a mesma força de vontade e garra", salienta ela, que completa:
 
"Particularmente, gosto de campeonatos nestes moldes, mais curtos. Consigo me preparar melhor para cada jogo, manter mais o foco".
 
Em Copas Latinas, como era o campeonato antes desse ano, Carol já foi ao pódio em quatro oportunidades, tendo três ouros e um bronze, sendo uma das maiores vencedoras da história do torneio. No começo deste ano, Kumahara levou a medalha de ouro no torneio individual do Aberto do Chile - etapa Challenge da Federação Internacional de Tênis de Mesa (ITTF).
 
A Confederação Brasileira de Tênis de Mesa conta com recursos da Lei Agnelo/Piva (Comitê Olímpico do Brasil e Comitê Paralímpico Brasileiro) – Lei de Incentivo Fiscal e Governo Federal – Ministério do Esporte.
 

Siga a CBTM nas redes sociais:

FACEBOOK: www.facebook.com/cbtenisdemesa
TWITTER: www.twitter.com/cbtm_tm
INSTAGRAM: @cbtenisdemesa

iDigo | Assessoria de comunicação CBTM
imprensa@cbtm.org.br