Diego Moreira

13/06/2019 10:02

  Dados Pessoais

Nome completo: Diego Moreira
Classe: 10
Ranking: 27º
Sexo: Masculino
Data de Nascimento: 16/10/1986

Local de Nascimento: São Carlos - SP
Altura (cm): 181
Peso (kg): 80
 
Informações adicionais
Estado Civil: União estável
Parceira: Lise Kathleen Papineau
Residência atual (cidade): Piracicaba-SP
Ensino Superior: Unicep São Carlos – Curso Comunicação Social com ênfase em Publicidade e Propaganda
Ocupação: Atleta
 
Informações específicas esportiva:
Quando e onde começar a praticar seu esporte?
"Iniciei no esporte quando criança aos 11 anos de idade no SESC  São Carlos, e joguei até os meus 18 anos disputando competições contra atletas olímpicos (sem deficiência). Após 9 anos sem jogar tênis de mesa retornei a modalidade em setembro de 2013 e entrei no circuito paralímpico no ano de 2014."
 
Por que você escolheu esse esporte?
"Por influência do meu irmão, que jogava também."
 
Detalhes da Associação ou Clube - Nome, Cidade, Estado:
Frantt-Tibhar / Café Morrogrande - Piracicaba-SP
 
Treinadores atual (nome, país e ano de início dos trabalhos):
Paulo Camargo, desde 2014 e Raphael Moreira, desde 2017.
 
Estilo: clássico (destro)
 
Estreia Internacional
Aberto da França, Hyeres, em 2014
 
Interesse Geral
Hobbies:
Tocar violão e cantar. 
 
Momento esportivo memorável
Ter participado dos Jogos Paralímpicos 2016, no Rio de Janeiro.
 
Pessoa que mais tem influenciado a sua carreira?
Toda minha famílila.
 
Ídolos esportivos.
O jogador de futebol Ronaldo Fenômeno e o mesatenista brasileiro Hugo Calderano.
 
Tem algum ritual ou superstição antes de competir ou treinar?
"Fazer um diálogo interno os motivos pelos quais eu estou desenvolvendo o tênis de mesa."
 
Quais prêmios esportivos ganhou, e em que ano
Melhor jogador 2014 (classe 10), 2015 e 2016 (classe 09) da CBTM; prêmio atleta paralímpico de 2014 de São Carlos-SP.
 
Quais são as suas ambições durante e após sua carreira?
Desempenhar meu melhor tênis de mesa. Quero também colaborar com o desenvolvimento da modalidade tênis de mesa e do esporte (paralímpico ou não) como fator de inclusão social.
 
Resumo: 
Diego nasceu com pé torto congênito, que consiste na má-formação do pé (virado para trás). Começou no tênis de mesa aos 9 anos, por influência do irmão, mas jogava somente contra atletas sem deficiência, até seus 18 anos. Ficou 9 anos sem jogar, e decidiu retornar para a modalidade, desta vez competindo no tênis de mesa paralímpico. Inicialmente, foi classificado como classe 10, por ser extremamente forte. Porém, após classificação funcional internacional, caiu para a classe 09, onde obteve resultados expressivos, como Campeão Brasileiro individual classe 09 em 2016, líder do ranking nacional classe 09 masculina em 2015 e 2016, e também a medalha de bronze nos Jogos Paralímpicos de Toronto, Canadá, em 2015. Nos Jogos Paralímpicos Rio 2016, foi eliminado na fase de grupos nos critérios de desempate, com 1 vitória (sobre o italiano Mohamed Amine Kalem, que acabou ficando com o bronze) e 1 derrota para o chinês Yiqing Zhao.