Em primeira competição do Circuito Mundial jogando juntos, ‘tops’ brasileiros comprovam qualidade e alto potencial

17/01/2019 15:43

Técnico Jean-René elogiou desempenho de Hugo Calderano e Bruna Takahashi, que chegaram às oitavas de final de duplas mistas na Hungria

Budapeste (HUN), 17 de janeiro de 2019.

Por: Assessoria de Comunicação – CBTM

Hugo Calderano é, hoje, o principal atleta do tênis de mesa brasileiro. Aos 22 anos, é o atual número 6 do mundo, com potencial indiscutível. No feminino, alguém que também segue o caminho do sucesso: Bruna Takahashi, com 18 anos, foi campeã mundial de cadetes em 2015, e já é a atleta mais bem ranqueada do Brasil na categoria. Apesar do nível alto, porém, os dois nunca haviam jogado juntos em um Circuito Mundial – até o Aberto da Hungria.

Ainda que fosse a primeira vez como dupla, os dois facilmente se entenderiam, pela óbvia qualidade mútua. Bruna e Hugo, no entanto, já haviam dividido o mesmo lado na mesa em outras competições, mas em torneios de base. Em Budapeste, agora com um desafio maior, disputando com os melhores do mundo, eles comprovaram sua capacidade: chegaram às oitavas de final de duplas mistas, após vencerem os italianos Mihai Bobocica e Debora Vivarelli, por 3 a 0 (11/8, 12/10 e 11/2), e os croatas Shihao Wei e Jiayi Sun por 3 a 1 (8/11, 11/9, 11/9, e 11/9).

Segundo o técnico Jean-René Mounie, cada um da dupla teve seu papel, e isso foi importantíssimo para o triunfo nos dois primeiros jogos: “A Bruna e o Hugo jogaram muito bem nas fases preliminares. Hugo teve capacidade de fazer a diferença, e Bruna teve consistência”, explicou o francês. O entrosamento da dupla se deu com facilidade. A eliminação veio na manhã desta quinta-feira (17), nas oitavas de final, por 3 a 0 (3/11, 6/11 e 4/11), contra os austríacos Stefan Fegerl e Sofia Polcanova, mas o balanço, segundo o técnico, foi positivo.

“Foi impossível impor nosso jogo porque eles tiveram controle nos saques e recepções. Quase nunca começamos os pontos como quisemos. Mas podemos ficar satisfeitos em nos classificarmos para a chave principal”, explicou. Em busca de melhores resultados futuros, dado o potencial dos dois, o técnico Jean-René sinalizou que vai investir no aprimoramento da dupla: “Também mostramos limites contra os melhores da Europa. Agora, vamos analisar tudo isso com calma”, finalizou.

 

A Confederação Brasileira de Tênis de Mesa conta com recursos da Lei Agnelo/Piva (Comitê Olímpico do Brasil e Comitê Paralímpico Brasileiro) - Lei de Incentivo Fiscal e Governo Federal - Ministério do Esporte.
 

FATO&AÇÃO COMUNICAÇÃO

Assessoria de Comunicação da Confederação Brasileira de Tênis de Mesa - CBTM

Claudia Mendes – claudia@fatoeacao.com

Nelson Ayres – nelson@fatoeacao.com

imprensa@cbtm.org.br

fatoeacaocomunicacao@gmail.com

                                                         

Siga a CBTM nas redes sociais:
 
FACEBOOK:
 www.facebook.com/cbtenisdemesa

TWITTER: www.twitter.com/cbtm_tm

INSTAGRAM: @cbtenisdemesa