Hugo Hoyama avalia participação do Brasil na disputa individual feminina: "Foi um dia muito bom"

07/08/2016 17:02
Treinador ressaltou que, mesmo nos jogos em que saíram derrotas, Caroline Kumahara e Lin Gui tiveram boas atuações
 
Alexandre Araújo, no Rio de Janeiro - 07/08/2016

Fotos: Christian Martinez/CBTM
As eliminações de Caroline Kumahara e Lin Gui no torneio individual feminino de tênis de mesa nos Jogos Olímpicos Rio 2016, no último sábado (6), não apagaram os feitos que elas tiveram à mesa, com boas apresentações e partidas que levantaram o público presente ao Riocentro. Para o técnico Hugo Hoyama, inclusive, as atuações das jovens atletas fizeram com que o dia tivesse um balanço bastante positivo.
 
O ex-jogador ressaltou que, mesmo nos confrontos em que o resultado foi adverso, as duas atletas demonstraram evolução e deram trabalho às adversárias. Hoyama acredita ainda que tais fatores podem influenciar positivamente nas atuações do Brasil na disputa por equipes, mesmo enfrentando as favoritas ao título.
 
"Foi um dia muito bom. Agora, é focar para equipe. Lógico que será muito difícil porque vai ser contra a China, mas temos alguns dias pela frente. O modo como elas jogaram, não só nas vitórias, mas também nas derrotas, faz com que a gente jogue o mais solto possível. Nenhuma atleta entra para perder, mas a China é, para o Brasil e quase todos os países, praticamente imbatível. Temos de tentar fazer o melhor possível. Quem sabe não temos boas apresentações, tiramos um set aqui e outro ali... Se demonstrarmos uma boa evolução, acho que seria ótimo. Todas elas estão bem preparadas e trabalhando duro. Eu estou aqui para ajudar", disse.
 
No começo do dia, Caroline Kumahara bateu a australiana Melissa Tapper por 4 sets a 2, enquanto Lin Gui derrotou a espanhola Galia Dvorack pelo mesmo placar. Depois, Carol teve um grande desafio pela frente: Ni Xian Lian, de Luxemburgo. Apesar da briga ponto a ponto, acabou sendo derrotada por  4 sets a 3, em um jogo bastante emocionante. Já no fim do dia, Lin Gui encarou a romena Elizabeta Samara e conseguiu impor o ritmo em alguns momentos, mas perdeu por 4 sets a 0.
 
"A Carol ganhou da australiana jogando bem. Depois, ela levou até um pouco de azar no jogo contra a Ni Xian Lian, mas fez uma partida frente a frente, abriu 3 a 1, mas a Ni Xian Lian é uma jogadora muito experiente. Então, ela aproveitou isso até para fazer com que a Carol errasse algumas bolas. Realmente, não foi uma derrota da Carol, foram méritos da Ni Xian Lian. Tênis de mesa acontece muito disso. Não é só você que ganha, muitas vezes, tem de fazer o adversário entregar alguns pontos para você. A Lin ganhou muito bem o primeiro jogo contra a Galia. Era um jogo duro e ela conseguiu suportar a pressão. Taticamente, conseguiu jogar muito bem. Contra a Samara, a Lin lutou e frente frente em alguns sets"
 
A disputa por equipes na Rio 2016 começa no próximo dia 12. Enquanto a equipe feminina terá a China pela frente, a equipe masculina terá a Coreia do Sul.
 

A Confederação Brasileira de Tênis de Mesa conta com recursos da Lei Agnelo/Piva (Comitê Olímpico do Brasil e Comitê Paralímpico Brasileiro) – Lei de Incentivo Fiscal e Governo Federal – Ministério do Esporte.

Siga a CBTM nas redes sociais:

FACEBOOK: www.facebook.com/cbtenisdemesa
TWITTER: www.twitter.com/cbtm_tm
INSTAGRAM: @cbtenisdemesa

iDigo | Assessoria de comunicação CBTM
imprensa@cbtm.org.br