Jogos Paralímpicos: Bruna Alexandre perde, mas ainda está viva na briga por vaga na semifinal da Classe 10

09/09/2016 15:36
Joyce Oliveira faz jogo equilibrado contra Wijittra Jai-On, acaba eliminada, mas afirma: 'Saio de cabeça erguida'
 
Da redação, no Rio de Janeiro (RJ) - 9/9/2016
 
Foto: Daniel Zappe/MPIX/CPB
 
Na briga por uma vaga na semifinal dos Jogos Paralímpicos Rio 2016, Bruna Alexandre (3ª colocada no ranking mundial da Classe 10) teve pela frente ninguém menos que a chinesa Qian Yang, número 1 do mundo na Classe 10. A jovem brasileira lutou bastante, mas acabou derrotada por 3 sets a 0 (11/6, 11/2 e 11/1). Ela admitiu que não esperava que a adversária adotasse a estratégia de ataque, mas ressaltou que a luta no Grupo A ainda não acabou.
 
Neste sábado (10), Bruna Alexandre enfrenta a croata Mirjana Lucic (6ª da 10), que venceu a australiana Andrea McDonnell (16ª da 10), nesta sexta-feira (9). O confronto decisivo será às 12h20.
 
"Foi um jogo bem difícil. Ela atacou forte e foi bem regular, me surpreendeu. Ela errou muito pouco no jogo. Dou os meus parabéns a ela por ter jogado tão bem. Agora, é se preparar e focar na próxima partida. É outro jogo, completamente diferente. Espero conseguir jogar melhor. Já enfrentei ela três vezes e consegui vencer, mas todos os jogos foram muito disputados. Porém, aqui é outra partida, outra história", disse.
 
Já Joyce Oliveira (9ª da 4) foi muito guerreira, lutou bastante e venceu as fortes dores lombares e a dor no dedo da mão esquerda, mas não conseguiu bater Wijittra Jai-On (7ª da 4), da Tailândia, que triunfou na partida por 3 sets a 2 (9/11, 11/6, 11/2, 9/11 e 12/10). Com a derrota, a brasileira está eliminada da disputa individual da Classe 4 da Rio 2016. Apesar disso, Joyce garante que sai de cabeça erguida e lembra que, agora, vai focar na competição por equipes.
 
"Para mim, joguei bem. Ela (Wijittra Jai-On) havia ganho da primeira do ranking, então, sabia que seria bem complicado. Foi uma partida boa, saio satisfeita porque joguei o meu melhor. Na primeira partida não consegui jogar, estava muito nervosa, ansiosa e nesta eu já estava mais tranquila e consegui dar o meu máximo. Não classifiquei, mas saio de cabeça erguida e feliz. Ainda tenho de pensar aqui porque temos a disputa por equipe, depois, penso no que fazer, mas devo dar uma parada para fortalecer a minha lombar", afirmou.
 
A estreante do dia, Catia Oliveira (7ª da 2), recebeu um grande apoio da torcida, mas, diante da sul-coreana Su-Yeon Seo (1ª da 2), perdeu por 3 sets a 0, parciais de 11/2, 11/5 e 11/4. Ela ainda volta à mesa nesta sexta-feira, para encarar a italiana Clara Podda (11ª da 2), em briga por vaga nas quartas de final. 
 
Nesta tarde, às 16h, Iranildo Espíndola enfrenta Yanming Gao, da China, e Guilherme Costa pega Kyungmook Kim, da Coreia do Sul. Já às 17h20, Claudiomiro Segatto terá o britânico Jack Hunter-Spivey pela frente, enquanto Israel Stroh atuará contra o chinês Keli Liao e Paulo Salmin terá um desafio diante de Sayed Youssef, do Egito. 
 
David Freitas vai à mesa às 20h, contra o argentino Gabriel Copola. No mesmo horário, Luiz Filipe Manara encara Linus Karlsson, da Suécia. Fechando a noite, Danielle Rauen disputa o primeiro lugar do Grupo B da Classe 9 contra a polonesa Karolina Pek e Jennyfer Parinos terá a chinesa Lina Lei, também pela Classe 9, no grupo A.
 

A Confederação Brasileira de Tênis de Mesa conta com recursos da Lei Agnelo/Piva (Comitê Olímpico do Brasil e Comitê Paralímpico Brasileiro) – Lei de Incentivo Fiscal e Governo Federal – Ministério do Esporte.

Siga a CBTM nas redes sociais:

FACEBOOK: www.facebook.com/cbtenisdemesa
TWITTER: www.twitter.com/cbtm_tm
INSTAGRAM: @cbtenisdemesa

iDigo | Assessoria de comunicação CBTM
imprensa@cbtm.org.br