Jogos Paralímpicos: Mais uma medalha histórica! Bruna Alexandre conquista bronze e se torna a primeira brasileira a faturar medalha no tênis de mesa

13/09/2016 20:03
Atleta conquistou terceiro lugar ao bater dinamarquesa Sophie Walloe por 3 sets a 0
 
José Augusto Assis, no Rio de Janeiro (RJ) - 13/9/2016
 
Foto: Alexandre Urch/MPIX/CPB
 
Histórica! É dessa forma que se pode caracterizar a conquista que Bruna Alexandre obteve nesta terça-feira (13) na Rio 2016. Um dia depois da prata inédita de Israel Stroh, a brasileira, número 3 do mundo na Classe 10, faturou a medalha de bronze e se tornou a primeira mulher na história do tênis de mesa a subir no pódio tanto em Jogos Paralímpicos quanto em Jogos Olímpicos.
 
Bruninha, como é chamada, conseguiu a terceira colocação ao bater a dinamarquesa Sophie Walloe (5ª colocada no ranking mundial da Classe 10) por 3 sets a 0. A mesatenista se impôs desde o início da partida e não permitiu que a sua adversária tomasse a frente no confronto. Bruna venceu com parciais de 11/2, 13/11 e 11/8.
 
A medalha de ouro da Classe 10 ficou com a polonesa Natalia Partyka (2ª na 10) que bateu a chinesa Yang Qian (1ª na 10) por 3 a 0 (11/8, 18/16 e 11/5). Com o triunfo, a atleta se tornou tetracampeã paralímpica.
 
Após a partida, Bruna lembrou a evolução que teve no último ciclo paralímpico. Em Londres/2012, ela nem sequer conseguiu passar da primeira fase, ficando na terceira colocação no grupo.
 
"Bati na trave em Londres (para classificar). Esses últimos quatro anos foram muito bons para mim. Consegui melhorar muito. Falta melhorar o físico, emagrecer mais, mas acho que já foi um grande ponto melhorar a cabeça. Estar focada do começo ao fim", afirmou a brasileira que ainda recordou um momento importante na briga pelo bronze:
 
"Foi no segundo set, estava 8/6 para ela. Eu percebi que estava fora da 'casinha'. Pensei que tinha de me concentrar novamente e buscar o set. Foi no 10/10, depois 11/10 para mim e pedi tempo.  O atleta sente que precisa de tempo. Senti que estava pressionada. Eu pensava em abrir 2 sets a 0... Isso faria o jogo ser mais seguro".
 
Por outro lado, Bruna admitiu que se surpreendeu com Sophie Walloe e admitiu que a adversária da noite mudou muita coisa na forma de jogar desde o último encontro entre elas.
 
"No começo, ela estava com medo. Depois, melhorou e até me surpreendeu. Eu já tinha jogado com ela três vezes e ela nunca tinha feito essas coisas. Ela sacou mais curto e eu tive de jogar de uma forma mais lenta, que não acontecia contra ela. Há cinco meses, era um jogo mais rápido. Tive de mudar um pouco algumas jogadas e acabou dando certo", finalizou.
 
Bruna volta a atuar já nesta quarta-feira (14), na competição por equipes. Ao lado de Jennyfer Parinos e Danielle Rauen (que ficou em quarto lugar na Classe 9), vai encarar a equipe da Alemanha, às 19h30.
 

A Confederação Brasileira de Tênis de Mesa conta com recursos da Lei Agnelo/Piva (Comitê Olímpico do Brasil e Comitê Paralímpico Brasileiro) – Lei de Incentivo Fiscal e Governo Federal – Ministério do Esporte.

Siga a CBTM nas redes sociais:

FACEBOOK: www.facebook.com/cbtenisdemesa
TWITTER: www.twitter.com/cbtm_tm
INSTAGRAM: @cbtenisdemesa

iDigo | Assessoria de comunicação CBTM
imprensa@cbtm.org.br