Mundial de Cadetes: Após conquistarem medalhas, Diogo Silva e Livia Lima exaltam campanha

30/10/2017 18:10
Diogo levou uma prata nas duplas mistas, e Livia, um bronze nas parcerias femininas
 
Da redação, no Rio de Janeiro (RJ) - 30/10/2017
 
O saldo foi mais do que positivo para os brasileiros que participaram do Desafio Mundial de Cadetes, principal competição da categoria infantil. Diogo Silva e Livia Lima conquistaram uma prata nas duplas mistas e um bronze nas duplas femininas, respectivamente, e, com isso, enaltecem a campanha que fizeram em Suva, no Fiji.
 
Diogo, que ficou em quinto colocado no campeonato individual, já projeta uma medalha dourada nos próximos Mundiais.
 
"Apesar de ter sido o meu primeiro Mundial, consegui ir bem na competição. Agora, voltando para o Brasil, quero me concentrar nos meus treinos, me dedicar cada vez mais para nos próximos campeonatos voltar a representar bem o Brasil. Numa próxima oportunidade que eu tiver de jogar o Mundial, vou buscar o ouro", disse Diogo, que exaltou a conquista da prata e da parceria com a sul-coreana Hanna Ryu nas duplas mistas:
 
"Ter conquistado essa prata significa muito para mim, pois se trata de um Mundial. Fiquei muito feliz! Esse é um campeonato muito importante e é muito difícil chegar ao pódio. Na competição, não tinha nenhuma dupla fácil, mas a minha parceira me ajudou bastante e, por isso, fomos tão longe".
 
Ao comentar sobre a participação no torneio internacional, Livia, que ficou em oitava no individual, lembrou do Campeonato Mundial Juvenil, que disputou no final do ano passado, na Cidade do Cabo, África do Sul. A atleta ressalta que ter competido em um mundial da sua categoria serviu para analisar as outras mesatenistas do infantil.
 
"Saí muito contente desse Mundial, o mundo inteiro estava nesse torneio. No ano passado, eu joguei o Mundial juvenil, na África do Sul, mas não era a minha categoria. Então, ter jogado no infantil (categoria de Livia) foi muito bom para eu ver o nível das atletas de fora do país e para observar como elas jogam. Deu para perceber que são muitos estilos diferentes", afirmou a medalhista de bronze do torneio de duplas femininas, competição em que atuou ao lado da chilena Valentina Rios.
 
O Brasil também foi representado por Giulia Takahashi, irmã de Bruna Takahashi - atleta que foi campeã individual e por equipes do Desafio Mundial de Cadetes, em 2015. Giulia, de apenas 12 anos, jogou pela equipe Hopes (programa de detecção de talentos da Federação Internacional de Tênis de Mesa) e ficou na 21ª colocação do torneio individual. 
 

A Confederação Brasileira de Tênis de Mesa conta com recursos da Lei Agnelo/Piva (Comitê Olímpico do Brasil e Comitê Paralímpico Brasileiro) – Lei de Incentivo Fiscal e Governo Federal – Ministério do Esporte.

Siga a CBTM nas redes sociais:

FACEBOOK: www.facebook.com/cbtenisdemesa
TWITTER: www.twitter.com/cbtm_tm
INSTAGRAM: @cbtenisdemesa

iDigo | Assessoria de comunicação CBTM
imprensa@cbtm.org.br