Mundial Juvenil: Técnico da seleção elogia desempenho de brasileiros na competição

07/12/2016 09:32

Hideo Yamamoto destaca a participação de Bruna Takahashi no individual e da seleção feminina no torneio por equipes

 

Da redação, no Rio de Janeiro (RJ) - 6/12/2016

 

O Brasil encerrou nessa segunda-feira (5) a participação em mais um Mundial Juvenil, que foi realizado na Cidade do Cabo, na África do Sul. O treinador da seleção, Hideo Yamamoto, elogiou a participação dos brasileiros na competição, principalmente no torneio por equipes, e destacou a atuação de Bruna Takahashi que chegou aos 32 avos de final da competição individual.

 

No individual, Bruna conseguiu terminar a primeira fase na primeira colocação do Grupo 2, que também tinha a espanhola Yolanda Enriquez e a porto-riquenha Paola Sanabria. Ao avançar de fase, a atleta encarou a romena Andreea Clapa nos 64 avos de final. Depois, acabou eliminada para a forte sul-coreana Jiho Kim.

 

"Achei a performance dela muito boa, porque os 32 avos foi a melhor colocação que ela chegou em um mundial. Ano passado, ela perdeu entre nos 64 avos de final e no ano anterior também. Ela saiu em primeiro do grupo, jogando muito bem.  Depois, ela enfrentou uma jogadora da Romênia que é muito complicada, a Bruna nunca a tinha derrotado e, mesmo assim, conseguiu uma vitória muito boa por 4 a 0", avaliou Hideo, que ainda completou:

 

"Nos 32 avos, ela pegou uma coreana, que é muito forte. Durante a disputa dos pontos, Bruna conseguiu jogar de igual para igual, mas ela teve um pouco de problema na recepção e acabou prejudicando. Teve dificuldade em estar recebendo e acabou não conseguindo ir para a disputa porque recebia mal. Apesar disso, foi um excelente campeonato para ela. Esse é apenas o primeiro ano de juvenil dela, tem tudo para melhorar e ano que vem conseguir resultados ainda melhores do quejá vem conquistando". 

 

Hideo destaca também a participação da equipe feminina no Mundial. A seleção - que foi formada por Bruna, Alexia Nakashima, Daniela Yano e Livia Lima - conquistou a 10ª colocação no torneio, igualando o desempenho de 2015, que foi o melhor da história da seleção feminina na competição.

 

"Foi muito bom para o time feminino. Ano passado, nós tínhamos conseguido chegar na 10ª colocação também, mas tínhamos uma jogadora boa, que era a Leticia Nakada. Esse ano, foi o mesmo time e e fez um campeonato muito bom também. Coloquei a Livia Lima em seu primeiro ano de infantil, e viemos com um time mais jovem e conseguimos vencer bons jogos, como da Argélia, da Nigéria e da fortíssima Espanha. Ganhamos dela de 3 a 2 e elas, no Campeonato Europeu, derrotaram a Bélgica e a Alemanha. Ganhar delas mostra que o Brasil está bem. Estamos conseguindo jogar de igual para igual com países muito bons", analisou.

 

A Confederação Brasileira de Tênis de Mesa conta com recursos da Lei Agnelo/Piva (Comitê Olímpico do Brasil e Comitê Paralímpico Brasileiro) – Lei de Incentivo Fiscal e Governo Federal – Ministério do Esporte.

Siga a CBTM nas redes sociais:

FACEBOOK: www.facebook.com/cbtenisdemesa
TWITTER: www.twitter.com/cbtm_tm
INSTAGRAM: @cbtenisdemesa

iDigo | Assessoria de comunicação CBTM
imprensa@cbtm.org.br