Mundial por Equipes: Seleção feminina perde, mas faz história diante da tricampeã europeia Alemanha

29/02/2016 09:06

Bruna Takahashi e Caroline Kumahara garantiram os dois primeiros triunfos do Brasil na elite do tênis de mesa mundial

Da redação, no Rio de Janeiro (RJ) – 29/02/2016

A equipe feminina da seleção brasileira fez história na terceira rodada do Mundial por Equipes, em Kuala Lumpur, na Malásia. Mesmo com derrota por 3 partidas a 2 para a Alemanha, nesta segunda (29), as meninas conquistaram as duas primeiras vitórias do Brasil na primeira divisão – e logo diante da atual tricampeã europeia. 

“Foi muito bom, apesar da derrota, elas conseguiram agarrar algumas oportunidades. Fazer jogo duro contra a Alemanha com certeza é um resultado muito expressivo e mostra que estamos no caminho certo”, comemorou o técnico Hugo Hoyama.

Bruna Takahashi (148ª colocada no ranking mundial) foi a primeira a entrar em ação e brilhou novamente pela seleção. A atual campeã mundial infantil bateu a experiente Kristin Silbereisen (69ª), de virada, garantindo a primeira vitória do Brasil na elite do tênis de mesa feminino: 3 a 2, parciais de 11/7, 5/11, 4/11, 11/2 e 11/8.

“Fico muito feliz pela Bruna. No primeiro Mundial adulto dela, enfrentar a Alemanha, que foi até as quartas de final há dois anos, e ganhar de uma adversária no top 70 é excelente. Isso mostra ela ainda tem muito a conquistar”, projetou o treinador.

Na segunda partida, Lin Gui (130ª) foi superada por Irene Ivancar (44ª), única jogadora defensiva entre as adversárias, por 3 a 0 – parciais de 11/8, 11/8 e 11/5.  Contudo, Carol Kumahara (139ª) recolocou a seleção na frente ao vencer Nina Mittelham (112ª) por 3 a 0 (11/6, 12/10 e 11/7).

"Eu sabia que seria um jogo muito duro e estava empatado, era muito importante para a sequência. Depois a Bruna jogaria com a cateira, que seria difícil. Por isso entrei firme, tentando sempre pensar que a responsabilidade era delas e estávamos dando um susto nelas. Senti que ela estava carregando esse peso, também por já ter jogado contra mim, perdido uma e ganhado a outra de 4 a 3, na final do Aberto do Brasil", recordou Carol, sobre a decisão realizada em 2013.

Para o treinador Hugo Hoyama, essa pressão só aumentou quando Kumahara conseguiu uma grande virada, demonstrando muita frieza em um set crucial para o desenrolar da partida.

“A gente já tinha treinado com a Nina no Japão. Mesmo há três anos, já conhecíamos alguma coisa dela. A Carol foi bastante consistente e conseguiu virar no segundo set após estar perdendo por 6/10, então isso tirou totalmente a confiança da adversária”, destacou Hoyama.

Bruna voltou à mesa para encarar Ivancar, que obteve sua segunda vitória e empatou mais uma vez o jogo: 3 a 0 (, 11/6 e 11/3). No último duelo, Lin Gui começou bem, mas acabou derrotada por Kristin Silbereisen – 3 a 1, parciais de 6/11, 11/4, 11/5 e 11/3.

“A Lin também jogou bem, mas teve o mérito da experiência da Kristin. Mesmo já tendo perdido para a Bruna e perdendo o primeiro set do último jogo, ela conseguiu ter tranquilidade e achar uma solução para mudar o jogo, que foi um saque curto na direta”, apontou o técnico.

Ainda pelo grupo B da primeira divisão, a seleção feminina joga nos próximos dois dias contra contra a República Tcheca, na terça-feira (1º de março), às 5h30; e fecha sua participação diante da Tailândia, na quarta (2), às 8h30.

“Temos ainda jogos duros pela frente, mas com certeza essa partida vai dar mais motivação para a sequência do Mundial. Vamos ver o que acontece até o final”, concluiu o comandante da seleção feminina.

A Confederação Brasileira de Tênis de Mesa conta com recursos da Lei Agnelo/Piva (Comitê Olímpico do Brasil e Comitê Paralímpico Brasileiro) – Lei de Incentivo Fiscal e Governo Federal – Ministério do Esporte.

Siga a CBTM nas redes sociais:

FACEBOOK: www.facebook.com/TMBrasil
TWITTER: www.twitter.com/cbtm_tm
INSTAGRAM: @cbtenisdemesa

iDigo | Assessoria de comunicação CBTM
imprensa@cbtm.org.br