Paratletas brasileiros conquistam mais seis medalhas na Copa Costa Rica

08/12/2018 13:25

Destaque para duas medalhas de prata entre os homens, nas classes 4-5 e 9-10. Jean Carlo Padilha também conquista prata, em equipe mesclada com chileno

FOTO DE ARQUIVO: Claudio Massad foi prata na classe-9-10. Crédito: Roberto Castro/Rededoesporte.gov.br

 

San Jose (CRC), 8 de dezembro de 2018.

Por: Assessoria de Comunicação – CBTM

Os paratletas do Brasil conquistaram mais medalhas na disputa por equipes da Copa Costa Rica. Ao todo, foram seis times com brasileiros que subiram ao pódio, sendo que uma equipe era mesclada com atleta de outro país. Destaque maior para três medalhas de prata, entre os homens: nas classes 1-3, 4-5 e 9-10.

A primeira prata, da classe 4-5, foi conquistada por Alexandre Ank e Ecildo Lopes. Eles passaram em primeiro lugar no grupo A, contra equipes de Cuba e El Salvador/Guatemala. Na semifinal, bateram os franceses Phillippe Durieux e Yorick Adjal, por 2 a 0. Mas acabaram caindo na decisão, para os chilenos Cristian Gonzalez e Maximiliano Ávila, por 2 a 0.

A outra prata com equipes genuinamente brasileiras veio na classe 9-10, com Claudio Massad, Lucas Carvalho e Basílio de Oliveira. Na primeira fase, eles bateram as equipes da República Tcheca e da Costa Rica, ambas por 2 a 0. Na semifinal, passaram por Cuba, pelo mesmo placar. Na decisão, acabaram sendo superados pelos russos Iurii Nozdrunov, Vladimir Glazov e Ivan Karpov, por 2 a 1.

“Foi uma prata com gosto de ouro. Jogamos de igual para igual com os russos. Estou muito feliz com meu desempenho. No balanço do torneio, foi muito bom. Ganhei do vice-campeão do mundo da classe 9, o Nozdrunov. Fiquei muito satisfeito também com a performance do Lucas e do Basílio. Isso me dá mais motivação para buscar o título no Parapan e conquistar a tão sonhada vaga para os Jogos Paralímpicos de Tóquio”, disse Massad.

Outra medalha prateada foi conquistada por Jean Carlo Padilha, que participou de uma equipe mesclada com o chileno Rodrigo Bustamente, na classe 1-3. Em disputa de grupo único, eles só perderam para a equipe formada por Rússia e Cuba, superando os times canadense e costa-riquenho.

As outras três medalhas com participação de brasileiros foram de bronze. Duas delas, entre as mulheres. Na classe 1-5, Thais Severo e Marliane Santos ficaram em terceiro lugar na disputa de grupo único, sendo superadas pelas equipes da Rússia/Alemanha (ouro) e Cuba/Estados Unidos (prata). Em outra disputa de grupo único, na classe 6-8, Millena França, Elem da Silva e Aline Ferreira ficaram em terceiro lugar, atrás das equipes da Rússia (ouro) e Canadá/Costa Rica (prata).

O terceiro bronze brasileiro do torneio veio da classe 8 masculino, com Francisco Wellington e Alexon Piccolin. Depois de passarem em segundo lugar no grupo B, eles foram superados na semifinal pelos russos Artem Iakovlev e Aleksei Saunin, por 2 a 0.

 

A Confederação Brasileira de Tênis de Mesa conta com recursos da Lei Agnelo/Piva (Comitê Olímpico do Brasil e Comitê Paralímpico Brasileiro) - Lei de Incentivo Fiscal e Governo Federal - Ministério do Esporte.
 

FATO&AÇÃO COMUNICAÇÃO

Assessoria de Comunicação da Confederação Brasileira de Tênis de Mesa - CBTM

Claudia Mendes – claudia@fatoeacao.com

Nelson Ayres – nelson@fatoeacao.com

imprensa@cbtm.org.br

fatoeacaocomunicacao@gmail.com

                                                         

Siga a CBTM nas redes sociais:
 
FACEBOOK:
 www.facebook.com/cbtenisdemesa

TWITTER: www.twitter.com/cbtm_tm

INSTAGRAM: @cbtenisdemesa