Pré-Olímpico: Caroline Kumahara e Lin Gui garantem vagas olímpicas

02/04/2016 15:51

Brasileiras venceram suas chaves no segundo dia de disputa na capital chilena

Fotos: Divulgação/ULTM

Matheus Quelhas, de Santiago (CHI) – 02/04/2016

A seleção brasileira garantiu, neste sábado (2), duas representantes no torneio individual dos Jogos Olímpicos do Rio, este ano. Caroline Kumahara (105ª colocada no ranking mundial) e Lin Gui (124ª) venceram suas chaves na disputa do Pré-Olímpico Latino-Americano – com isso, o Brasil ocupa o número máximo de vagas no feminino.

Carol foi a primeira a jogar sua final, diante da experiente mexicana Yadira Silva (127ª), e venceu por 4 a 3 – parciais de 10/12, 9/11, 11/6, 4/11, 11/6, 11/8 e 11/1.  Após a partida, ela elogiou a adversária e destacou o lado psicológico de sua atuação.

“Na minha opinião ela é a adversária mais completa para jogar contra nós, brasileiras, na América Latina, por isso foi difícil, ela estava atacando sempre antes de mim. Tive que ter calma, não pensar no placar, somente no que eu tinha que mudar no meu jogo”, afirmou Kumahara, antes de demonstrar maturidade ao comentar sobre sua expectativa para as Olimpíadas.

“As pessoas costumam pensar que vai ter uma preparação super especial por ser Olimpíada. No meu caso não, porque tenho um projeto de carreira, ainda quero buscar muita coisa. Eu tenho 20 anos, não vou tratar como meu pico, mas continuar treinando muito duro para chegar a mais preparada possível”, explicou.

O técnico Francisco Arado - mais conhecido como Paco -, foi quem esteve na área técnica na decisão de Carol. Além de compor a comissão técnica da seleção brasileira em diversas competições, é também ele que aplica os treinos para a jovem em São Caetano do Sul (SP), mas, humilde, não reivindica quase nenhum mérito na conquista da vaga.

“Eu vivo o jogo junto, vibro, mas a estrela hoje é a Carol. Ela foi muito inteligente, muito guerreira, conseguiu ser fria e ao mesmo tempo intensa para bater uma adversária de qualidade. Parabéns pra ela”, disse o treinador.

Na outra final, Lin Gui derrotou a venezuelana Gremlis Arvelo (251ª) por 4 a 2 (11/6, 11/4, 11/9, 9/11, 9/11 e 13/11), com direito a um final épico, no qual estava perdendo por 7/10 e conseguiu a virada.

“Esse jogo foi mais uma lição pra mim. Comecei muito bem e os que perdi foram apertados. Mas a gente sabe que estar na frente e fechar o jogo não é fácil também. No momento em que estava perto de perder o sexto set, pensei ‘não posso ficar passiva’, porque já tinha feito isso na final do Pan. E com isso consegui os pontos e virei”, lembrou Lin, que ficou com a prata em Toronto, no ano passado.

Prestes a disputar sua segunda edição de Jogos Olímpicos, esta foi a primeira vez que ela conquistou a vaga na mesa, já que em 2012 jogou o torneio por equipes, através de convocação. E Lin não esconde que a emoção de defender o país que a acolheu no início da adolescência será ainda maior desta vez.

“Eu estou muito feliz de poder representar o Brasil nos Jogos Olímpicos, em casa, no nosso país. Agora está garantido: Rio, estou indo, hein”, avisou, aos risos, a mesatenista.

Para o comandante do time feminino, Hugo Hoyama, o caminho traçado por Gui passa muito pelo auxílio de profissionais de alto nível e da bagagem adquirida em outras competições.

“Hoje eu só tenho que parabenizá-la pelo trabalho que ela tem feito. Hoje ela treina na Áustria, com uma equipe multidisciplinar, isso ajuda nesses momentos de pressão. A derrota em Toronto foi uma lição que ela usou hoje. Que essa experiência positiva sirva de exemplo também”, declarou, antes de lembrar também do objetivo conquistado pela equipe.

“Não poderia deixar de mencionar o feito da Carol, que também conquistou essa vaga. Com isso, a nossa meta, que era conseguir as duas vagas, foi atingida”, destacou o técnico.

Gustavo Tsuboi e Bruna Takahashi chegam perto, mas ficam sem vaga

 O paulista Gustavo Tsuboi (63º) chegou à final de sua chave neste sábado, mas acabou superado pelo mexicano Marcos Madrid (190º), em decisão equilibrada, decidida no sétimo set – 4 a 3, parciais de 9/11, 8/11, 13/11, 5/11, 11/5, 13/11 e 11/6.

O vice-campeão pan-americano volta à mesa neste domingo (3), último dia de jogos no Pré-Olímpico. Como Hugo Calderano (58º) já está garantido, resta uma vaga nos Jogos, que será disputada entre os campeões das duas chaves masculinas.

A jovem Bruna Takahashi (142ª), por sua vez, esteve perto de fazer uma final brasileira com Carol Kumahara, mas foi impedida por Yadira Silva, que a venceu na semifinal por 4 a 1 (11/6, 11/9, 2/11, 11/9 e 11/7). Como as duas colegas de seleção conquistaram as vagas neste sábado, resta para Bruna esperar a convocação que definirá quem será a terceira atleta a completar a equipe Brasileira nos Jogos do Rio de Janeiro (RJ).   

A Confederação Brasileira de Tênis de Mesa conta com recursos da Lei Agnelo/Piva (Comitê Olímpico do Brasil e Comitê Paralímpico Brasileiro) – Lei de Incentivo Fiscal e Governo Federal – Ministério do Esporte.

Siga a CBTM nas redes sociais:

FACEBOOK: www.facebook.com/TMBrasil
TWITTER: www.twitter.com/cbtm_tm
INSTAGRAM: @cbtenisdemesa

iDigo | Assessoria de comunicação CBTM
imprensa@cbtm.org.br