Pré-Olímpico: Gustavo Tsuboi perde em jogo duro e Brasil fica fora das finais

01/04/2016 20:16

Com apoio da torcida local, Felipe Olivares avançou em confronto com o brasileiro

Matheus Quelhas, de Santiago (CHI) – 01/04/2016

Gustavo Tsuboi (63º colocado no ranking mundial) parou na semifinal de sua chave do Pré-Olímpico Latino-Americano, na tarde desta sexta-feira (1º), em Santiago (CHI). O brasileiro foi derrotado pelo chileno Felipe Olivares (265º) por 4 a 3 – parciais de 9/11, 13/11, 11/8, 11/4, 7/11, 9/11 e 11/5.

Com a eliminação do paulista, o Brasil ficou fora da disputa direta pelas vagas olímpicas do primeiro dia, nas finais de cada chave. Neste sábado (2), os atletas voltam à mesa para jogar dois novos torneios (chaves) de cada naipe, onde os campeões estão garantidos nos Jogos do Rio.

“É claro que queríamos a vaga hoje, mas ainda temos mais dois dias de competição. O importante é abraçar as coisas positivas: o Gustavo ganhou dois jogos por 4 a 0. Contra o Olivares não conseguiu se manter na frente e temos que reconhecer que seu adversário jogou muito bem”, analisou o técnico Jean-René Mounie.

No domingo (3), a fórmula se repete, mas no masculino somente o vencedor do confronto entre os campeões dos dois torneios assegura a vaga, já que Hugo Calderano já está classificado desde o ouro pan-americano. No total, estão em jogo seis vagas no feminino e cinco entre os homens.

Revés também no feminino

Mais cedo, o Brasil sofreu outras três derrotas: Lin Gui caiu para a cubana Lisi Castillo por 4 a 2 (6/11, 11/6, 11/8, 10/12, 12/10 e 11/9) e Bruna Takahashi perdeu para a venezuelana Neridee Nino, por 4 a 3, parciais de 3/11, 5/11, 11/6, 5/11, 11/7, 11/7 e 11/4 – ambas nas quartas de final de suas chaves.  Caroline Kumahara (105ª), por sua vez, foi superada pela cubana Idalys Lovet (364ª) por 4 a 3 (7/11, 11/6, 11/9, 11/8, 11/8, 11/6 e 11/8) na rodada inicial.

O técnico Hugo Hoyama manteve a visão otimista sobre as chances das brasileiras, mas também lembrou que a competição tem muita pressão pelo que está em jogo e admitiu o dia ruim.

“Ninguém esperava que ficássemos fora, com as finais sem nenhuma brasileira. Demos chances para as adversárias se superarem, mas paciência, isso acontece. Temos que saber aproveitar as próximas chances e entrar com toda confiança e motivação novamente”, resumiu Hoyama.

A Confederação Brasileira de Tênis de Mesa conta com recursos da Lei Agnelo/Piva (Comitê Olímpico do Brasil e Comitê Paralímpico Brasileiro) – Lei de Incentivo Fiscal e Governo Federal – Ministério do Esporte.

Siga a CBTM nas redes sociais:

FACEBOOK: www.facebook.com/TMBrasil
TWITTER: www.twitter.com/cbtm_tm
INSTAGRAM: @cbtenisdemesa

iDigo | Assessoria de comunicação CBTM
imprensa@cbtm.org.br