Técnico da seleção faz balanço positivo do desempenho de brasileiros no Aberto do Japão

20/06/2016 17:41
Hugo Calderano e Gustavo Tsuboi chegaram às semifinais de duplas masculinas
 
Da redação, no Rio de Janeiro (RJ) – 20/6/2016
 
O treinador da seleção masculina, Jean-René Mounie, aprovou o desempenho dos atletas do Brasil no Aberto do Japão, etapa da série Super do Circuito Mundial 2016 encerrada no último domingo (19). Hugo Calderano (62º colocado no ranking mundial), Gustavo Tsuboi (83º), Vitor Ishiy (238º), Cazuo Matsumoto (108º) e Eric Jouti (200º) representaram o país na competição que reuniu atletas que estão entre os melhores do mundo.
 
O melhor resultado brasileiro foi no torneio de duplas. Hugo Calderano e Gustavo Tsuboi alcançaram as semifinais e foram derrotados apenas pela dupla Chuang Chih-Yuan (7º) e Huan Sheng-Sheng (122º), de Taipei, por 3 a 1 (11/2, 15/13, 6/11 e 11/8).
 
“Ter chegado à semifinal é um grande resultado. Nesse ano, não tivemos oportunidade de trabalhar especificamente a dupla e, mesmo assim, temos uma parceria de nível mundial. Hugo e Gustavo tem complementaridade, um pode preparar e o outro pode matar o ponto”, comentou o treinador Jean- René.
 
Para o técnico, os dois fizeram a melhor exibição nas oitavas de final. em que venceram os japoneses Masataka Morizono (33º) e Yuya Oshima (32º) por 3 a 1.
 
“Para vencer os cabeças de chave Oshima e Morizono, eles mostraram o melhor nível deles. Na semi, podemos ter alguns arrependimentos porque tivemos oportunidade de fechar dois sets e não o fizemos. Por outro lado, esse jogo mostra que Hugo e Gustavo podem competir contra os melhores do mundo. Com trabalho e mais experiência, não tenho dúvida nenhuma de que vão continuar melhorando. Merecem os parabéns”, enalteceu o francês.
 
Na disputa individual, os atletas que formaram a dupla brasileira foram os que chegaram mais distante na competição. Gustavo alcançou as oitavas de final e fez jogos marcantes, como na rodada anterior, em que ele superou o japonês Koki Niwa (18º) por 4 a 3. Ele só caiu frente ao número 2 do mundo, o chinês Fan Zhendong.
 
“O Gustavo conseguiu voltar a apresentar um nível muito alto. Ele teve um período muito difícil depois de se machucar. Nas primeiras rodadas, ele não jogou muito bem, mas melhorou e acabou vencendo o 18º do mundo para se classificar para as oitavas de final”, comentou o treinador.
 
“No último jogo, o passo foi alto demais. Zhendong não deu nenhuma oportunidade ao Tsuboi, além de o brasileiro ter feito muitos esforços no individual e nas duplas. Mas gostaria de dizer parabéns para ele porque o que fez no Japão foi grandioso”, completou.
 
Além do torneio de duplas, Hugo Calderano disputou o individual adulto e sub-21. Na categoria principal, o atleta chegou à chave principal e foi superado pelo número 11 do mundo, o chinês Fang Bo, por 4 a 2. No torneio sub-21, o brasileiro (7º do ranking mundial da categoria) parou nas semifinais ao ser batido pelo japonês Tomokazu Harimoto (36º). Para o treinador da seleção, o carioca estará preparado nos Jogos Olímpicos Rio 2016.
 
“O desempenho dele foi muito bom. Em um dos dias, ele teve de encarar vários jogos seguidos por causa da competição sub-21 e isso atrapalhou ele. Por um lado, é um jeito de evoluir para ter mais capacidade de manter o melhor nível dele por mais tempo. Na chave principal do adulto, ele perdeu para o chinês número 11 do mundo, mas jogou de igual a igual durante boa parte do jogo e isso é bem positivo. Ele estará pronto para as Olimpíadas”, projetou.
 
Os outros três brasileiros estavam na fase preliminar do torneio individual adulto, mas não conseguiram avançar. Vitor venceu uma partida, mas foi superado no jogo seguinte, enquanto Cazuo e Eric caíram em suas estreias.
 
“Vitor mostrou que evoluiu bastante em relação ao nível dele. Ele pode competir com muitos jogadores entre o top 50 e 100 do mundo, mas precisa ser mais agressivo em oportunidades para fechar. Eric já tem todas as ferramentas para competir, porém ainda falta entendimento da intensidade em partidas de alto nível, apesar de ele estar em um caminho interessante. Precisamos ter paciência com os dois”, disse o treinador.
 
“Cazuo teve vários problemas de saque e recepção, então foi um pouco frustrante. Infelizmente, ele precisou reagir de um jeito mais agressivo, mudar a atitude e a escolha do jogo, mas em nenhum momento da partida se sentiu bem com isso. Ele vem bem há vários meses já e sei que podemos esperar melhora no Aberto da Coreia”, finalizou.
 
O próximo compromisso do francês e dos brasileiros será no Aberto da Coreia do Sul, que acontecerá de quarta-feira (22) a domingo (26). A competição é etapa da série Super do Circuito Mundial 2016 e será realizada na cidade de Incheon.
 

A Confederação Brasileira de Tênis de Mesa conta com recursos da Lei Agnelo/Piva (Comitê Olímpico do Brasil e Comitê Paralímpico Brasileiro) – Lei de Incentivo Fiscal e Governo Federal – Ministério do Esporte.

Siga a CBTM nas redes sociais: 

FACEBOOK: www.facebook.com/cbtenisdemesa
TWITTER: www.twitter.com/cbtm_tm
INSTAGRAM: @cbtenisdemesa

iDigo | Assessoria de comunicação CBTM
imprensa@cbtm.org.br