Técnicos elogiam desempenho de brasileiros no Pan-Americano juvenil

06/07/2016 20:07
Brasil faturou um ouro, três pratas e um bronze no Canadá; competição foi a primeira da história 
 
Da redação, no Rio de Janeiro (RJ) - 6/7/2016
 
Os técnicos Hideo Yamamoto e Willian Kumagai ficaram satisfeitos com a atuação dos brasileiros  no primeiro Pan- Americano juvenil, que aconteceu entre os dias 25 e 30 de junho. A competição, que foi realizada em Burnaby, no Canadá, teve a equipe do Brasil faturando cinco medalhas - um ouro, três pratas e um bronze.
 
O ouro brasileiro foi conquistado por Bruna Takahashi (20ª colocada no ranking mundial da categoria)  e Leticia Nakada (41ª) na disputa das duplas. As medalhas de prata foram faturadas no individual por Bruna, no torneio das duplas mistas por Rodrigo Yonesake (161º) e Alexia Nakashima (63ª) e nas equipes pelo grupo feminino; já a terceira colocação foi garantida por Yonesake, Gustavo Yokota (48º) e Siddharta Almeida (182º) na competição por equipes.
 
Treinador destaca união da equipe feminina
 
Responsáveis por grandes resultados, o grupo feminino agradou Hideo. Bruna, Alexia e Leticia disputaram juntas o Mundial juvenil, na França, no ano passado e, para o treinador, o entrosamento da equipe foi um fator positivo. 
 
"Foi basicamente a mesma equipe que disputou o Mundial no ano passado em que ficamos na décima colocação. Então, já era uma equipe que se conhecia e estavam ali as melhores que tínhamos", disse Hideo.
 
"A principal força delas é a união, porque elas se dão muito bem. Quando um ganha, todos ganham, quando um perde, todos perdem, nós  trabalhamos dessa maneira", completou.
 
Apesar da grande atuação de todas as meninas, Hideo aponta a superação de Alexia e Leticia como o grande momento do Brasil no torneio. Para ele, a vitória das atletas sobre as americanas Crystal Wang (22ª) e Grace Yang (120ª), respectivamente, merecem destaque.
 
"Ambas perderam nas quartas do individual em jogos difíceis. Na equipe, elas venceram jogos importantes e complicados, infelizmente não conseguimos bater os Estados Unidos na decisão, mas, com certeza, o triunfo das duas foi o ponto alto da competição", apontou.
 
Willian apontou evolução da equipe masculina após começo difícil
 
Entre os meninos, o início da competição por equipes não foi muito fácil. O Brasil foi superado em dois dos três jogos, mas acabou conseguindo se classificar através da segunda vaga. O treinador Kumagai acredita que, apesar do começo complicado, a equipe conseguiu se superar e ter um bom desempenho.
 
"Eles chegaram um pouco preocupados, sentindo um pouco a pressão da competição. Depois da derrota contra o Canadá B por 3 a 2 na primeira fase, eles começaram a se encontraram. Então, analisando como começaram e terminaram o Pan-Americano, eles foram bem", analisou o técnico.
 
A vitória brasileira sobre o Canadá A nas quartas de final por 3 a 2 foi um grande triunfo na visão do treinador. Para ele, a partida foi um exemplo de superação dos atletas do Brasil.
 
"Contra o Canadá A, eles se superaram, colocaram o coração na raquete e conseguiram vencer um time fortíssimo, jogaram muito naquela partida", finalizou.
 

A Confederação Brasileira de Tênis de Mesa conta com recursos da Lei Agnelo/Piva (Comitê Olímpico do Brasil e Comitê Paralímpico Brasileiro) – Lei de Incentivo Fiscal e Governo Federal – Ministério do Esporte.

Siga a CBTM nas redes sociais: 

FACEBOOK: www.facebook.com/cbtenisdemesa
TWITTER: www.twitter.com/cbtm_tm
INSTAGRAM: @cbtenisdemesa

iDigo | Assessoria de comunicação CBTM
imprensa@cbtm.org.br